Sabia que as máquinas de venda automática de bilhetes do Metro de Lisboa existem há 36 anos?

O Metropolitano de Lisboa começou a disponibilizar máquinas de venda automática de bilhetes em todas as estações no dia 6 de setembro de 1982.

autonews.pt @ 7-9-2018 13:00:01

As primeiras Máquinas Automáticas de Venda de Títulos eram cor de laranja

As primeiras Máquinas Automáticas de Venda de Títulos eram cor de laranja

Quando surgiram pela primeira vez há 36 anos, as famosas máquinas, que na altura eram cor de laranja, suscitaram uma grande curiosidade nos clientes, graças às funcionalidades diversas que ofereciam para além da venda tradicional efetuada nas bilheteiras.

Esta geração de máquinas só aceitava moedas e vendia os títulos metro existentes na altura: bilhetes unitários e cadernetas de 10 bilhetes. Os títulos adquiridos nestes equipamentos eram mais baratos do que os vendidos nas bilheteiras para incentivar à utilização das novas máquinas. Estes equipamentos estiveram ao serviço até 2002, mas em 1995 outra geração de máquinas veio substituir, faseadamente, a anterior.

No final de 2001, o Metro apresentou o novo cartão Lisboa Viva, que estava inserido num novo sistema de bilhética e de controlo de títulos de transporte pioneiro na Europa, dando início a uma campanha de substituição dos cartões de passe tradicionais por estes novos cartões com tecnologia sem contacto. Face à entrada da nova moeda Euro em 2002, o Metropolitano inicia o processo de preparação das máquinas automáticas de venda de bilhetes para essa nova moeda.


As Máquinas Automáticas de Venda de Títulos são mais sofisticadas e adaptadas a clientes com necessidades especiais

As Máquinas Automáticas de Venda de Títulos são mais sofisticadas e adaptadas a clientes com necessidades especiais

Em 2002, e em simultâneo com a introdução do Euro, o Metro implementa um novo sistema de bilhética composto por novos canais de acesso às estações e novas máquinas de venda, que se mantêm até hoje. Este novo sistema de bilhética passa a ter por base bilhetes magnéticos para os passageiros ocasionais, e os cartões sem contacto Lisboa Viva, para os clientes frequentes, nos quais passam, gradualmente, a ser carregados eletronicamente os passes mensais. Em 2005, a vinheta do tradicional passe L (colada no cartão de suporte) é totalmente abolida e os carregamentos eletrónicos passam a ser efetuados em todas as máquinas automáticas e rede multibanco.

Hoje, o Metropolitano de Lisboa conta com 281 máquinas de venda automática de títulos (MAVTs) espalhadas por todas as estações. Tratam-se de equipamentos mais sofisticados que dispõem, de inúmeras funcionalidades no sentido de facilitar aos clientes a aquisição de títulos de transporte. Nas MAVTs podem ser adquiridos e carregados todos os títulos válidos no Metro e noutros operadores de transporte, incluindo os passes nas diversas variantes, combinados e intermodais.

Ao contrário dos equipamentos das gerações anteriores, as MAVTs atuais dispõem de ecrã tátil e aceitam pagamentos com moedas, notas e cartões bancários. Estão adaptadas para cegos e ambliopes, nomeadamente com linguagem em braille e botão de voz para ajuda com ligação direta a funcionários do metro que se encontram habilitados a ajudar nas transações pretendidas.

autonews.pt @ 7-9-2018 13:00:01