Fórmula E: Quantas baterias têm estes carros de competição?

Alimentar o motor e o cérebro do carro

Ao contrário dos carros de corrida tradicionais com motores de combustão - onde o motor é a parte mais crítica para o desempenho de um carro de corrida - a corrida com automóveis elétricos parte de uma proposta completamente diferente, sendo a bateria o elemento chave. 

autonews.pt @ 27-2-2019 18:09:13

Na Fórmula E, cada carro tem duas baterias de íons de lítio diferentes: a chamada bateria de tração que aciona o conjunto motor/transmissão e uma bateria adicional de 12V que alimenta todos os sistemas eletrónicos do carro.

Os materiais essenciais contidos nestas baterias de íons de lítio - os materiais do catodo e do ânodo - determinam, em grande parte, seu desempenho. E é aqui que entra a mais avançada tecnologia de bateria que tem que responder a condições extremas de utilização para garantir a melhor performance.

Bateria de tração, aceleração e velocidade

O que é preciso para vencer uma corrida de Fórmula E? Parece ser simples: um carro rápido e leve e energia suficiente para terminar a corrida. Os materiais do catodo dentro da bateria de tração podem ajudar a alcançar esses objetivos.

Estes materiais catódicos têm um impacto no peso e na autonomia do carro ou na quantidade de energia que pode ser armazenada num determinado tamanho de bateria. Eles influenciam a velocidade de aceleração do carro ou o quão rápido a energia pode ser liberada da bateria para garantir resposta rápida ao pedido de aceleração do piloto.

E são também estes materiais que determinam a vida útil de uma bateria ou quanto tempo e quanto esforço o piloto pode colocar na bateria antes que ela deixe de funcionar.

Atualmente, na Fórmula E a bateria de tração, de alta tensão, é padronizada e todas as equipas usam a mesma bateria. A sua química de materiais catódicos não pode ser alterada pelas equipas. Quando vier a ser permitido pelos regulamentos pelos regulamentos, possivelmente a lógica desta competição poderá mudar, num processo similar ao que acontece com a tecnologia de motores de combustão nas corridas convencionais.

Pela quantidade de energia que tem que disponibilizar, esta bateria trabalha com alta voltagem, tem um peso aproximado de 250 kg. 

As células de base são fabricadas pela Sony, integradas pela Lucid Motors e geridas pela McLaren.


Bateria de 12V, pequena mas crítica

Para perceber a utilidade desta bateria, pense na comunicação de rádio, luzes de travagem e todos os componentes eletrônicos que controlam o carro. A bateria auxiliar de baixa tensão opera independentemente da bateria de tração e mantém todos os sistemas críticos em funcionamento nos carros de Fórmula E. 

E esta bateria precisa ser tão leve e tão pequena quanto possível para economizar no peso do carro. Qualquer peso poupado pode contribuir para uma maior aceleração ou maior autonomia do carro de corrida. Naturalmente esta preocupação requer uma química da bateria substancialmente diferente da bateria de tração referida anteriormente.

Esta bateria pode ser adaptada pelas equipas para responder a diferentes objetivos.

autonews.pt @ 27-2-2019 18:09:13