A INEOS quer liderar na revolução do hidrogénio

Produção por eletrólise com baixo teor de carbono

O hidrogénio é uma fonte de energia limpa e fabulosa que pode ser utilizada tanto como matéria-prima para a indústria como fonte de energia para transportes e usos domésticos. Tem um papel fundamental em fazer baixar as emissões de gases de estufa do Reino Unido e a INEOS está empenhada em liderar a revolução do hidrogénio.

autonews.pt @ 20-10-2021 09:38:00

A INEOS é o maior operador de eletrólise a nível europeu, a tecnologia crítica que utiliza energias renováveis na produção de hidrogénio, para geração de energia, transportes e utilização na indústria.

A INEOS já produz e utiliza anualmente, 400.000 toneladas de hidrogénio de baixo teor de carbono, o equivalente a substituir até 2 mil milhões de litros de diesel. Sabe como produzi-lo, transportá-lo, armazená-lo e utilizá-lo.

O facto de ser utilizadora e produtora de hidrogénio coloca a INEOS numa posição única, bem no centro do desenvolvimento do hidrogénio verde. E a empresa anunciou que tem planos para investir €2 mil milhões na nova produção de hidrogénio verde em toda a Europa.

Também está a lançar uma importante campanha de sensibilização sobre o hidrogénio, chamando a atenção tanto para as vantagens como para as aplicações do hidrogénio. A campanha incluirá um "outdoor" de grandes dimensões e publicidade digital em Londres e em Glasgow, uma exposição itinerante em autocarro movido a hidrogénio e a apresentação de um automóvel alimentado a hidrogénio na COP 26.

A divisão INEOS Automotive da empresa está a apoiar a tecnologia de pilhas de combustível a hidrogénio como solução de um bloco propulsor limpo para versões futuras do veículo 4X4 a produzir. Graças ao acordo de parceria assinado em novembro de 2020, o protótipo de um Grenadier movido a pilha de combustível a hidrogénio utilizará a tecnologia de pilha de combustível da Hyundai Motor Company, com os ensaios a iniciarem até o fim de 2022.

A mais longo prazo, a outra contribuição massiva do hidrogénio para redução dos gases de estufa será ao nível do aquecimento doméstico, onde o gás natural pode ser substituído pelo hidrogénio, o que poderá, apenas por si, reduzir os gases de estufa até um terço.

Sempre que possível, a INEOS continuará a priorizar a produção de hidrogénio verde, o qual é gerado a partir de água utilizando eletrólise alimentada por energias renováveis, mas também está a investir na produção de hidrogénio azul, quando as emissões de carbono produzidas podem ser retidas em segurança e armazenadas no subsolo.

autonews.pt @ 20-10-2021 09:38:00


Clique aqui para ver mais sobre: Sabia que, Curiosidades sobre Carros / Automóveis