Porsche Taycan com 100.000 unidades produzidas

Testemunhos de clientes sublinham qualidades do modelo

No passado dia 7 de novembro, saiu da linha de produção a unidade 100 mil do Porsche Taycan. Esta marca foi conseguida sensivelmente três anos após o início de produção do modelo na fábrica de Zuffenhausen em setembro de 2019. 

autonews.pt @ 9-11-2022 15:30:31

O Taycan Turbo S em Azul Neptuno será entregue a um cliente do Reino Unido. “Estamos muitos satisfeitos por termos atingido tão rapidamente este marco histórico de produção – apesar dos recentes desafios criados pela escassez de semicondutores e pela situação volátil da Covid”, diz Kevin Giek, responsável pela linha Taycan. “Com o Taycan, começámos decididamente com sucesso a era elétrica”.

Os três principais mercados do Taycan são atualmente os EUA, China e Reino Unido/República da Irlanda.

O desportivo elétrico está agora disponível em três estilos de carroçaria – o Taycan berlina, Taycan Cross Turismo e Taycan Sport Turismo. Em cada uma delas existem até cinco diferentes níveis de motorização, com tração traseira ou integral. O Taycan 4S é atualmente a versão com maior autonomia da gama ao chegar aos 513 quilómetros (WLTP).

Por sua vez, o Taycan Turbo S é o atual recordista de veículos elétricos de produção no circuito de Nürburgring Nordschleife, com uma volta de pista realizada em 7 minutos e 33 segundos.


Fã do design e tecnologia: Jean-Hubert Revolon e o seu Taycan 4S

Não é apenas na produção que o Taycan atingiu rapidamente a marca dos 100.000. É também um número já atingido, e superado, por vários clientes em termos de quilometragem. Jean-Hubert Revolon é um desses casos, tendo já realizado mais de 188.119 quilómetros no seu Taycan 4S desde meados de agosto de 2020.

O empresário do ramo dos transportes vive na região de Lyon, França, e já levou o seu Porsche Taycan a quase todos os países vizinhos de França, ao realizar distâncias diárias de até 1.200 km.

As razões que levaram Revolon a comprar o Taycan foram o seu design e “as inovações técnicas, boas para o meio ambiente, bem como o meu orçamento devido aos custos reduzidos de utilização”, diz Jean-Hubert. Para além disso, considera como outros pontos fortes o desempenho e a suspensão do seu desportivo elétrico, que oferecem “uma aderência diabolicamente boa e a máxima agilidade, algo que só os feiticeiros da Porsche conseguem fazer”. Este homem de 43 anos diz que nenhum dos seus vários automóveis tem sido tão fiável como o seu Taycan 4S. Até ao momento, apenas necessitou de substituir um sensor da suspensão.

Ainda assim, nem tudo tem corrido sempre bem. Revolon recorda uma curiosa experiência de carregamento quando se encontrava a poucos metros da estação, mas não conseguia alcançá-la por causa de uma barreira. A infraestrutura fazia parte de uma área de descanso numa autoestrada e não era acessível a partir da cidade, como o sistema de navegação tinha indicado incorretamente.

Compra espontânea: Guillaume Takvorian e o seu Taycan 4S

Guillaume Takvorian é outro “rei dos quilómetros”. Quando o velocímetro do seu Taycan 4S atingiu os seis dígitos, decidiu documentá-lo com o seu telemóvel. Na altura da sessão fotográfica, o seu Porsche tinha percorrido 113.977 km – com mais para vir.

O farmacêutico de Marselha adquiriu, por capricho, o desportivo elétrico em Cinzento Vulcano em junho de 2020. “A Porsche Toulon tinha acabado de receber um Taycan. Após um test-drive, decidi-me de imediato por este modelo”, sorriu Guillaume. Em negócios, conduz o Taycan 4S principalmente no Sul de França. “A viagem mais longa foi de Marselha a Megève, nos Alpes de Savoy. A viagem de 440 quilómetros foi sempre a subir o que, naturalmente, aumenta o consumo de energia. Por isso parei na Porsche Grenoble e carreguei o meu Taycan de forma gratuita”, recorda o homem de 41 anos. Para além da ventoinha ruidosa, que foi substituída sob garantia, Takvorian não teve mais problemas.

Viagens de negócios frequentes na Europa de Leste: Markus Freutel e o seu Taycan Turbo

Por outro lado, Markus Freutel, utiliza frequentemente estações de carregamento ráápido para carregar a bateria – e não é de estranhar, uma vez que faz diariamente até 1.500 km. Entre fevereiro de 2021 e agosto de 2022, o funcionário da Porsche percorreu 134.911 km no seu veículo de empresa, um Taycan Turbo. Kreutel é o Head of Body Planning na Porsche e, portanto, responsável pela produção da carroçaria em Zuffenhausen, Leipzig e Bratislava.

E como CEO da Porsche Toolmaking, também é responsável pelas instalações dessa mesma área em Schwarzenberg, Dubnica e Horna Streda. Deste modo, viaja com frequência da sede da Porsche em Zuffenhaussen para a Eslováquia ou para as montanhas de Ore.

Kreutel elogiou as capacidades de percorrer longas distâncias, segurança na estrada mesmo com mau tempo e condução precisa, mas também os baixos custos de utilização em comparação com um modelo com motor a combustão. É também um adepto da qualidade de construção e durabilidade: o Taycan tem cumprido com rigor, mesmo após mais de 100.000 quilómetros. Tanto a nível técnico como visual: “A bateria ainda tem 91% da sua capacidade original”, diz Kreutel. E, mais uma vez, só foi registado um problema menor, uma tampa de plástico na fechadura da porta traseira que se soltou.

Por outro lado, a infraestrutura de carregamento testou a paciência de Kreutel. “Uma viagem à Roménia ficou na minha memória”, diz ele. “A primeira estação de carregamento em Timisoara, na qual cheguei às 2 horas da manhã, infelizmente não estava a funcionar. A estação seguinte em Arad encontrava-se numa rua secundária não iluminada”. Perante este tipo de situações, a expansão da rede de carregamento rápido está no topo da lista de preocupações dos condutores frequentes.


“Smart, green and lean”: a produção

Não é apenas o Taycan que estabelece padrões nas áreas de sustentabilidade e digitalização, mas também os métodos de produção de última geração utilizados. Em Estugarda-Zuffenhausen foi construída uma unidade de produção de alta tecnologia, com novas tecnologias e processos. Por exemplo, a Inteligência Artificial (IA) é utilizada na produção das motorizações elétricas.

Graças à “aprendizagem da máquina”, os sistemas com recurso a câmaras avaliam a qualidade com ainda mais precisão do que os sistemas convencionais de monitorização “não IA”, ao carimbar o número e pré-montagem da caixa de velocidades. Deste modo, é reduzida a carga de trabalho dos funcionários de produção, ao diminuir o número de verificações.

Um exemplo da área de processos e tecnologia de conservação de recursos é a recuperação de energia através de robôs. Tal como com o Taycan, a energia cinética é convertida em energia elétrica durante as travagens e armazenada, com ajuda de um condensador de alto desempenho. Se o robô acelerar, a energia recuperada é utilizada.

autonews.pt @ 9-11-2022 15:30:31

Galeria de fotos


Clique aqui para ver mais sobre: Auto News, Mercado Automóvel e Novidades