50 anos num minuto

A Seat a olhar para o futuro

De imagens a preto e branco para vídeos em 4k. Do Fax para as aplicações no smartphone. Do Vinil ao mp3. A sociedade evoluiu imenso nos últimos 50 anos, mas como mudou o mundo automóvel? Aqui estão alguns exemplos que o ilustram:

autonews.pt @ 8-4-2019 11:05:44

Da borracha à realidade virtual:

Um centro de design e desenvolvimento hoje em dia não se assemelha aos dos anos 60 e 70. As bússolas, as borrachas e as mesas longas com planos infinitos deram lugar a tablets, óculos de realidade virtual e telas flutuantes. "Graças à realidade virtual, agora podemos validar o design a 90% sem ter de modelar peças", afirma Manel Garcés, responsável de Visualização e Processos de Design Digital da SEAT.


De 5 a 2.400 carros por dia:

Quando a SEAT iniciou a sua primeira fábrica na Zona Franca (1950), 5 carros foram produzidos num dia inteiro. Atualmente, mais de 2.300 carros saem da fábrica de Martorell por dia. Por outras palavras, hoje são produzidos em 3 minutos os mesmos carros que eram produzidos antes, num dia inteiro. Esta evolução permitiu colocar um país inteiro em movimento.

De um processo manual a mais de 2.000 robôs:

No início, os robôs eram pura ficção científica. Um exemplo ilustra esta evolução. Nos anos 60 e 70 a pintura dos carros era feita de forma completamente manual. Hoje, 84 robôs aplicam finas camadas numa cabine e um scanner de última geração verifica a uniformidade da superfície em 43 segundos. Uma corrida tecnológica que é demonstrada nos mais de 2.000 robôs da área de Chapa e nos 125 robôs autónomos nas zonas 9 e 10 da Montagem. Todos eles coexistem diariamente com os mais de 7.000 empregados da fábrica de Martorell.


De trabalhar a 40 graus a um avatar biomecânico:

Sem ar condicionado, a baixas temperaturas no inverno e perto dos 40 graus no verão. Eram assim as condições de trabalho numa fábrica há meio século.  Hoje, as plataformas estão preparadas para manter uma temperatura constante, e têm os últimos avanços em ergonomia para evitar lesões.

Por exemplo, no Centro de Saúde e Reabilitação (CARS) em Martorell, são criados avatares biomecânicos que simulam em realidade virtual os movimentos dos trabalhadores da linha para melhorar a ergonomia.

De Bogotá a Sydney:

Em 1965 a exportação de carros era uma quimera para a SEAT. De forma simbólica, vários aviões foram carregados com modelos da marca destinados à Colômbia. Foi apenas em 1983 que as exportações se tornaram mais consistentes, com a comercialização do Ronda nos Países Baixos. Em 2018, a SEAT exportou 80% dos 474.300 carros fabricados em Martorell. Se fossem alinhados em fila, ligariam Barcelona a Sydney.

De 2 anos de espera a 5 cliques:

A compra de um veículo também mudou tremendamente. Antes, os concessionários eram o único ponto de contacto com as marcas. Hoje, 71% dos compradores consultam fontes de informação online antes de irem para um ponto de venda.

Mas há mais. Em meados dos anos 60, o tempo de espera para comprar um SEAT 600 era de 2 anos. Atualmente, um veículo pode ser comprado em apenas 10 minutos com 5 cliques, como no caso do projeto de compra online que a SEAT implementou na Noruega.

autonews.pt @ 8-4-2019 11:05:44

Galeria de fotos