Nissan desenvolve nova tecnologia utilizando espécies catalisadoras ativas para inativar vírus

Utiliza catalisadores de oxidação de radical nitroxilo orgânico

A Nissan acaba de anunciar que desenvolveu, em conjunto com a Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de Tohoku, uma tecnologia que inativa vírus usando espécies catalisadoras ativas para oxidação aeróbia.

autonews.pt @ 28-9-2022 17:15:59

A tecnologia tem potenciais aplicações para inativar vírus através da oxidação, desnaturação e degradação de proteínas e outras substâncias na superfície dos vírus. Com o oxigénio no ar a funcionar como oxidante, estas espécies catalisadoras produzem esse efeito mesmo em condições de ausência de luz e à temperatura ambiente, sem exigir irradiação de luz, como é habitual na oxidação.

Além de inativar vírus - incluindo o novo coronavírus - esta tecnologia também pode inativar agentes patogénicos, como fungos e bactérias. Tem um potencial de aplicações abrangentes no futuro, incluindo a utilização como materiais base antibacterianos e antivirais em filtros para equipamentos de ar condicionado e purificadores de ar, bem como em máscaras e produtos têxteis médicos.

Esta tecnologia utiliza catalisadores de oxidação de radical nitroxilo orgânico (catalisadores radicais). Oxidam compostos orgânicos na presença de co-catalisadores apropriados usando as moléculas de oxigénio do ar ambiente como um oxidante terminal.

Estudos dos efeitos desta tecnologia descobriram que os sais de oxoamónio produzidos a partir de catalisadores radicais através da oxidação aeróbia oxidam e inativam as proteínas superficiais dos vírus, reduzindo assim a sua capacidade de ligação às células-alvo. Além disso, processando a capacidade da ligação recetora da proteína de pico do SARS-CoV2 (estirpe ómicron), reduz significativamente a ligação da proteína ao recetor (ver figura).

Utilizando um coronavírus felino - um vírus alternativo ao SARS-CoV2 - a atividade infeciosa nas células renais felinas foi avaliada e observou-se uma inibição notável das alterações morfológicas relacionadas com a infeção nas células.

Esta nova tecnologia foi criada aproveitando os conhecimentos especializados da Nissan no desenvolvimento automóvel e as tecnologias da faculdade da Universidade de Tohoku relacionadas com o desenvolvimento de compostos químicos, avaliação de fármacos e outras ciências farmacêuticas, preparações catalisadoras e avaliação de desempenho catalisador.

Os catalisadores radicais são usados como aditivos nos materiais de base de polímeros das tintas automóveis, bem como nos materiais de fibra e polímeros orgânicos utilizados em interiores e exteriores de automóveis. Inibem as reações de foto-degradação (por exemplo, rachaduras, fragilização, desvanecimento) durante longos períodos de tempo.

A Nissan tem vindo a pesquisar e desenvolver o uso de catalisadores por radicais para inativar vírus, num esforço para tirar o máximo partido da sua atividade catalítica e contribuir, assim, para a sua missão de Liderar a Inovação para Melhorar a Vida das Pessoas.

* Grupo de organismos vivos constituído por indivíduos semelhantes capazes de trocar genes ou reproduzir-se. É a principal unidade taxonómica natural.

autonews.pt @ 28-9-2022 17:15:59


Clique aqui para ver mais sobre: Sabia que, Curiosidades sobre Carros / Automóveis