Siemens: Robots inteligentes de desinfeção ajudam a combater o vírus

Desenvolvido em apenas uma semana

Não têm rodas, mas considerando o momento justifica-se reconhecer o esforço tecnológico com mais uma solução. Desenvolvidos pela Siemens e Aucma em apenas uma semana, do design à produção de amostras, os robôs inteligentes de desinfeção em breve entrarão na batalha contra o vírus corona e outros organismos prejudiciais que acontecem em ambientes hospitalares, evitando assim riscos desnecessários para os profissionais.

autonews.pt @ 24-3-2020 14:23:00

“O que posso fazer para apoiar a batalha contra o COVID-19? Fiquei a pensar nesta resposta de forma constante ”, diz Yu Qi, diretor de Pesquisa da Siemens China para a automação avançada de fabrico, localizado em Qingdao. Enquanto a China intensificava seus esforços para combater o vírus durante os feriados do Ano Novo Chinês, ele tentava descobrir uma maneira de alavancar tecnologias de ponta para o controle de vírus.

No meio de uma quantidade esmagadora de informações sobre a epidemia que se estava a desenvolver, uma notícia chamou a sua atenção: robots de desinfeção eram urgentemente necessários em muitos hospitais para libertar os seres humanos na tarefa de  desinfeção de áreas de alto risco.

Yu Qi trabalha no laboratório para aplicações robóticas fundado em conjunto pela Siemens e Aucma, onde o foco é o desenvolvimento de robots especiais, veículos não tripulados, robots industriais e equipamentos inteligentes. Enquanto lia as notícias, surgiu uma ideia que ganhou apoio imediato da equipe de gestão e dos seus colegas: Crie um novo tipo de robô inteligente de desinfeção.


Novo robot elétrico de desinfeção

Com uma ampla mistura de experiência e conhecimento, a equipa de dez elementos estava confiante de que poderia desenvolver um novo tipo de robot em um curto período de tempo.

A maioria dos robots de desinfeção que estão disponíveis no mercado combina uma pistola misturadora a gasolina com um chassi elétrico. No entanto, o reabastecimento de robots não é limpo nem conveniente. A equipe decidiu, portanto, desenvolver robots de desinfeção puramente elétricos para melhor atender às necessidades das áreas afetadas, permitindo a sua utilização em espaços fechados.

A Siemens e Aucma iniciaram o projeto a 7 de fevereiro, logo após o prolongado feriado do Ano Novo Chinês. Os colegas de pesquisa e desenvolvimento da Corporate Technology China trabalharam afincadamente para otimizar o conceito, com a esperança de disponibilizar seus robots para hospitais da linha de frente o mais rápido possível. Entretanto, a equipa procurava a excelência do conceito sob pressão do tempo e superava os desafios técnicos, um por um.


Todos em teletrabalho na fase de prototipagem

A validação do projeto envolveu rodadas de testes de produtos e feedback dos utilizadores, garantindo-se que o trabalho em equipa era feito por telefone e novas tecnologias.

E a 15 de fevereiro, em apenas uma semana, a equipe concluiu com sucesso seu primeiro robot de desinfeção.

Informação em tempo real

Alimentado por uma bateria de lítio, o robot com duas pistolas misturadoras pode desinfetar 20.000 a 36.000 metros quadrados no espaço de uma hora. Uma plataforma de câmara omnidirecional na parte superior transmite vídeo e informações em tempo real, conjuntamente com a aplicação de um algoritmo de visão inteligente que permite ao operador localizar remotamente as áreas afetadas e impedir a propagação de doenças infeciosas, tudo a baixo custo de utilização.

Para fazer com que os robôs operem facilmente em várias superfícies da estrada, a equipe adotou um chassi de lagarta, em lugar de rodas, melhorando assim a sua capacidade de ultrapassar obstáculos, como inclinações de piso.

Com avanços no projeto estrutural e nos sistemas de controle autónoma, a equipa apresentou dois pedidos de patentes (na China). Os robôs de desinfeção recém-desenvolvidos estão prontos para serem lançados e serão implantados em breve nos hospitais da linha de frente para conter a disseminação de vírus.

Adicionalmente está previsto que estes robots possam ser usados em outras instalações como escolas, escritórios, fábricas e outros locais públicos para apoiar a retoma do trabalho, da produção e da normalidade de circulação de pessoas.

autonews.pt @ 24-3-2020 14:23:00


Clique aqui para ver mais sobre: Sabia que, Curiosidades sobre Carros / Automóveis