Como se prepara um piloto para a competição mais elétrica?

O piloto da CUPRA Mattias Ekström prepara-se para a Extreme E

Gelo, areia, selva, oceano, neve ... conduzir nestas condições adversas não é fácil, muito menos se estiver a ser cronometrado. Como tal, o piloto Mattias Ekström, que disputará as corridas Extreme E com a equipa ABT CUPRA XE, deve-se preparar física e mentalmente. 

autonews.pt @ 24-3-2021 17:31:17

O sueco está a terminar o seu treino para o campeonato, onde os pilotos vão conduzir SUVs elétricos todo-o-terreno, atravessando áreas desérticas, árticas, oceânicas, selvas e glaciares. Mas o piloto não treina sozinho, a lutadora profissional Madeleine Vall, embaixadora da CUPRA que teve um papel no filme Wonder Woman como Egeria, vai ajudá-lo.

- O corpo até ao limite. “No automobilismo até podes não ter que treinar para seres a pessoa mais forte ou musculada, mas é muito importante trabalhar a capacidade de concentração e resistência”, explica Mattias Ekström. Mesmo assim, com Vall o piloto superou os desafios do seu corpo: “Ela é uma mulher muito forte que me ajudou a ser mais forte ainda e a suportar tudo o que vier para me preparar para uma competição tão exigente como a Extreme E”, afirma.


- Treinar como um piloto. Além da preparação física, Mattias Ekström também treina como piloto. Como? Conduzindo. “Como piloto, tenho que manter os meus reflexos no máximo, conduzir a alta velocidade e sentir o travão e o acelerador”, confessa. E acrescenta: “Isso treina-se ao volante, por isso aproveito para conduzir o meu CUPRA Formentor pela neve sempre que posso e, além disso, tenho um simulador em casa para entrar no ambiente de competição."

- Mens sana in corpore sano. Porém, para o piloto o principal é treinar a mente: "Tu podes ser muito forte fisicamente, mas se não trabalhares a tua concentração e souberes lidar com o stress, isso influencia a maneira como tu te sentas ao volante e enfrentas a corrida." Para isso, Mattias Ekström aplicou uma estratégia que combina o exercício físico e mental com a condução: “Por exemplo, se eu estivesse muito tempo sem conduzir, os meus olhos cansavam-se com mais frequência, porque numa corrida tu tens de ir a alta velocidade ao mesmo tempo que deves observar os teus concorrentes e estar atento ao circuito”, argumenta. “É fundamental manter o espírito vivo para poder tomar boas decisões em menos de um segundo, deste modo, o controlo do stress é fundamental”, explica o piloto.


- Uma competição de extremos. A Extreme E arranca no próximo dia 3 de abril com a etapa do deserto na Arábia Saudita, mas este é apenas o início de uma odisseia que passará por quatro continentes e por cinco tipos de terreno diferentes.

As etapas seguintes acontecerão entre 29 de maio e 12 de dezembro de 2021 no Lago Rosa no Senegal, no gelo da Groenlândia, no meio da floresta Amazónica brasileira e no glaciar Tierra del Fuego, na Argentina. Na equipa ABT CUPRA XE, o sueco fará dupla com a piloto alemã Claudia Hürtgen. “Sinto-me preparado para esta aventura: a Claudia, a equipa CUPRA e eu temos trabalhado muito para chegar a esta competição e vamos com tudo”, conclui Mattias Ekström.

autonews.pt @ 24-3-2021 17:31:17


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto, Formula 1, Ralis, Pista, TT