Fórmula E: Na análise Hong Kong um vencedor improvável

Cinco corridas, cinco vencedores diferentes !

A marcar a 50ª corrida da Fórmula E na cidade chinesa de Hong Kong, veio de novo a confirmação da imprevisibilidade do vencedor neste carros elétricos. Esta celebração acabou por trazer também a primeira corrida “oficialmente molhada” do campeonato, Sam Bird ficou em primeiro mas foi penalizado pelos regulamentos e o vencedor acabou por ser Edoardo Mortara da Venturi.

autonews.pt @ 11-3-2019 10:58:52

Com um dramático duelo entre Andre Lotterer, da DS Techeetah, e Sam Bird, da Envision Virgin Racing, o centenário da série acabou sendo a primeira corrida oficialmente molhada na história do Campeonato, que viu Sam Bird perder sua vitória roubada e Edoardo, do Venturi. Mortara surge como o mais improvável vencedor da pista no porto de Hong Kong.

Nesta prova o primeiro grandes destaque vai para a dramática “briga” entre Andre Lotterer da DS Techeetah e o piloto britânico Sam Bird da Envision Virgin Racing. 

Na parte final da corrida Sam Bird estava na perseguição  do líder do momento, Lotterer da DS quando dá um toque mais forte que levou a uma quebra da suspensão traseira e um pneu furado. Assim Lotterer acaba por desistir numa corrida que parecia ter nas mãos: “Sinto-me muito triste, obviamente. Pensei que a corrida já era minha e ele acabou por interromper este sonho” declarou o alemão. 

Nas horas seguintes, a FIA – o órgão regulador da competição – atribuiu ao piloto Sam Bird um golpe devastador na forma de uma penalidade de cinco segundos, que o fez descer até ao sexto lugar na corrida, entregando a vitória a Edoardo Mortara da Venturi Fórmula E team. Em segundo lugar ficou Lucas di Grassi da Audi e em terceiro Robin Frijns da equipa Envision Virgin Racing.

Naturalmente Edoardo Mortara não continha a sua alegria: "O resultado hoje é fantástico. Quarto lugar em Santiago, terceiro no México, e agora minha primeira vitória, e em Hong Kong!", Disse o piloto suíço-italiano do Venturi, claramente em êxtase diante de sua vitória "... historicamente, as corridas na Ásia trazem-me muita sorte ... eu não poderia estar mais feliz. Esta vitória é também uma homenagem à equipa”.

Como resultado desta corrida, e apesar da penalização, neste momento é Sam Bird quem assume a liderança no campeonato de pilotos, enquanto a sua equipa, a Envision Virgin Racing também continua a liderar, apesar de ser uma equipa de suporte e não de construtor. 

Na classificação de pilotos a primeira posição é ocupada por Sam Bird (Envision) com 54 pontos, seguido de Jérôme D´Ambrosio (Mahindra) com 53 pontos estando na terceira posição o brasileiro Lucas Di Grassi (Audi) com 52 pontos exatamente o mesmo número de Edoardo Mortara (Venturi) também com 52 pontos. Ainda nos cinco primeiros posição surge o português António Félix da Costa (BMW) com 47 pontos. Todos muito próximos e prováveis vencedores.

"É a vida - não vou começar a chorar ou começar a bater nas paredes porque isso não vai mudar nada. Tenho que encarar esta situação com um sorriso", disse o atual campeão da Fórmula E, Jean-Eric Vergne depois de outra corrida difícil, que o levou a terminar em 13º lugar.

Depois de conquistar o título do campeonato em Hong Kong há menos de um ano, a sorte do francês na Fórmula E parece que desapareceu. Nesta quinta temporada apenas regista um segundo lugar na abertura da temporada na Arábia Saudita e um quinto em Marrocos. "Não há nenhum problema", afirma  após a corrida. "O carro estava bom, mas quando você começa cá atrás, é muito difícil ultrapassar."

Cinco rodadas, JEV encontra-se em 11º na classificação, com apenas 28 pontos em seu nome. "Vou aplicar uma nova abordagem na corrida chinesa de Sanya".

Mas enquanto Jean-Eric Vergne está a lutar fora do top ten, a ascensão do ex-campeão Lucas di Grassi ao topo continua a ganhar ritmo, registando neste momento o terceiro lugar da classificação de pilotos. "Às vezes você tem que correr com a cabeça, não com o coração", diz o brasileiro. "Da forma como trabalho, tento vencer todas as corridas, mas se não se pode ganhar, então só precisamos de marcar tantos pontos quanto possível - é mesmo assim simples - é como eu funciono.”

Com o seu segundo lugar, Lucas di Grassi sobe para o terceiro lugar no campeonato de pilotos, enquanto sua equipa está em no ranking de construtores. Di Grassi é um dos cinco pilotos que correram em todas as 50 corridas da Fórmula E até ao momento e acumulou 29 pódios em sua carreira na Fórmula E, fazendo dele o piloto mais bem sucedido na história da Fórmula E. 

Ainda com a chuva a assentar em Hong Kong e decorridas mais de cinquenta corridas de Fórmula E em apenas cinco anos, este ano estamos a testemunhar o insólito que reforça a imprevisibilidade de vencedores neste campeonato. 

Nesta quinta temporada da Fórmula E da ABB FIA, regista-se que com cinco corridas realizadas até agora foram 5 pilotos diferentes que ficaram topo do pódio, o que proporciona uma incógnita adicional sobre quem irá vencer na corrida em Sanya (China) já no próximo dia 23 de Março.

<

autonews.pt @ 11-3-2019 10:58:52