Filosofias japonesas dão "alma" ao novíssimo Nissan ARIYA

O estilo marcante deste elétrico representa o futuro do design da Nissan

O novíssimo Nissan ARIYA é o primeiro crossover totalmente elétrico de produção em massa desenvolvido e construído no Japão. Baseado no Ariya Concept apresentado no Salão Automóvel de Tóquio 2019, este é o primeiro modelo de produção a representar a nova identidade de marca elétrica da Nissan, desbravando o caminho para uma era de eletrificação avançada, disposição interior e inteligência do automóvel totalmente integrada.

autonews.pt @ 20-7-2020 17:24:06

Liderados pelo Vice-presidente Sénior de Design Global, Alfonso Albaisa, pelo Diretor Executivo de Design, Satoru Tai, e pelo Diretor de Design Sénior, Giovanny Arroba, os estilistas da Nissan trabalharam desde o início para dar ao Nissan ARIYA uma identidade japonesa que transcende o seu estilo marcante e elevado desempenho. Para tal, mergulharam nas filosofias japonesas e aplicaram-nas ao novíssimo automóvel elétrico da Nissan.

«Queríamos garantir que a alma do automóvel refletia o nosso ADN japonês distintivo, transmitido de forma simples, mas fortemente moderna», afirmou Albaisa. «Apelidámo-lo de "Futurismo Japonês Intemporal" e tirámos partido de algumas palavras-chave em japonês para inspirar a nossa equipa de design global a criar o formato poderoso, acutilante, simples e extremamente elegante do Nissan ARIYA».

Omotenashi (escrita japonesa: "おもてなし")

Definição tradicional: Oferecer mais do que o que seria de esperar neste momento, neste local e apenas para si (um nível de hospitalidade e serviço inesperados)

Omotenashi refere-se à oferta de um nível inigualável de hospitalidade a convidados e clientes, antecipando as suas necessidades e dando-lhes uma resposta adequada. É uma forma de transmitir que esse momento é exclusivo, apenas para esse(s) convidado(s).

Albaisa: «Um termo importante na definição do nosso ADN japonês. A nossa próxima linha de produtos não se concentra apenas em potência impressionante, funcionalidades convenientes e materiais topo de gama, mas também redefine toda a experiência de condução, desde o aproximar-se do Nissan ARIYA até à sua operação, viver com ele e melhorar a vida diária de todos de modo inovador e empolgante. Com o Nissan ARIYA, considerámos o significado de omotenashi no contexto digital moderno. Ser atencioso é um aspeto fundamental desta tradição. Por exemplo, quando um condutor entra no Nissan ARIYA, todos os ícones estão apagados, apenas o botão de ignição cintila aguardando a ativação do condutor. Quando o botão é pressionado, todos os ícones e interruptores se acendem de forma suave, incluindo a sequência de arranque na interface gráfica do utilizador. Quanto à interface em si, os ecrãs curvos duplos e o ecrã vertical de grandes dimensões disponibilizam informações importantes num formato de fácil compreensão e os controlos estão exatamente onde devem estar. E além do engenho funcional, utilizamos uma iluminação andon que confere ao interior uma atmosfera arquitetónica semelhante a um lounge."

Iki (escrita japonesa: "粋")

Definição tradicional: Inovador, com uma sensação fresca e simplista

A tradução ocidental mais direta de iki é "chique". Mas para os designers da Nissan, representa a criação de algo novo e inovador que se afasta de uma impressão já existente.

Tai comenta: «Iki poderá muito bem ser uma das melhores formas de descrever o Nissan ARIYA, já que se refere à avançada linguagem de design e tecnologia do automóvel. Iki descreve uma reinvenção da forma como interagimos com um automóvel através de avanços na tecnologia de conectividade. Descreve também o modo variável como encaramos um segmento automóvel existente. Iki é o oposto de ser chamativo ou ostentoso, algo que normalmente pode acontecer com as novas tecnologias. Com o Nissan ARIYA, iki pode ser sentido na forte presença exterior e beleza impressionante do automóvel. Por exemplo, a secção esguia do painel dianteiro e os destaques que percorrem a linha do ombro num traço único uniformizam o estilo de maneira concisa. No interior do automóvel, os controlos da climatização possuem um design de "desaparecimento", que os torna quase invisíveis na superfície suave do painel de instrumentos quando não estão a ser utilizados. Apesar de os interruptores de controlo da climatização estarem integrados, a sua interação tátil oferece uma sensação igual à de pressionar um interruptor mecânico. Isso é o iki no seu estado mais puro."

Kabuku (escrita japonesa: "傾く")

Definição tradicional: Uma expressão arrojada e diversificada que contraria a abordagem comum

Kabuku é uma reação à ordem e às convenções sociais. Abraça o estranho e o pouco ortodoxo enquanto expressão de rebeldia, mas fá-lo de uma forma positiva. Ao pensar de maneira diferente dos outros, representa um comportamento que apenas pode surgir de um líder e de alguém que corre riscos.

Diz Tai: «Na Nissan, personificamos este espírito adotando diferentes abordagens à norma; não só na procura de novas inspirações de design, mas também de novas formas de reinventar o modo como desenvolvemos e construímos, para elevar a experiência do condutor e dos passageiros. Analisamos o que é e o que poderia ser. Pode ver pequenas indicações de kabuku na própria abordagem ao Nissan ARIYA. Enquanto automóvel elétrico, tira partido de oportunidades para adaptar e redesenhar. Por exemplo, a grelha dianteira foi reinventada como um "escudo", assumindo uma nova finalidade de proteção da tecnologia e permitindo também níveis superiores de apoio ao condutor. O para-choques dianteiro possui condutas de ar que melhoram a aerodinâmica sem perturbar a beleza da superfície. Estes são alguns exemplos de como estamos a procurar um futuro mais intuitivo e totalmente conectado e de como adotámos uma abordagem pura e simples, com uma linguagem de conceção de automóvel elétrico exclusivamente japonesa».


Ma (escrita japonesa: "間")

Definição tradicional: O domínio de um espaço vazio respeitando a sua construção (aberturas espaciotemporais)

Na sua essência, ma é o domínio do espaço utilizando competências e técnicas sem meios complicados.

A palavra para Albaisa: «Na arquitetura, ma é uma forma de minimalismo japonês que, na sua raiz, não é subtrativo, mas sim uma concentração na harmonia dos elementos desde o início. O exterior e o interior refletem este conceito. O exterior, de relance, apresenta uma linha dinâmica única que vai da dianteira à traseira. Na realidade as formas que criam esta linha são muito esculturais e dão à linha uma essência mais artística. O interior é minimalista mas rico em tecnologia, refletindo a vida diária dos nossos clientes. Com os nossos engenheiros, conseguimos reduzir a complexidade, permitindo a integração das funções nos elementos decorativos e proporcionando um espaço aberto inesperado, mas entusiasmante».

Sei (escrita japonesa: "整")

Definição tradicional: Tratamento inteligente de estruturas e detalhes

Se ma é o domínio do espaço, sei corresponde à forma como este é conseguido. Tal pode ser alcançado através do tratamento inteligente de um design, elemento ou função.

De novo Albaisa: «Os designers procuram constantemente formas mais inteligentes de transformar a representação mais pura de um esboço de design em algo físico. Com o Nissan ARIYA, os exemplos de sei incluem as linhas de caráter exteriores que percorrem o automóvel. Quando vistas em conjunto, criam uma tensão silenciosa que expressa o movimento de ma. A luz traseira incorpora beleza funcional num motivo de "lâmina de luz" horizontal única. No habitáculo, o sei é representado pelos controlos táteis que se integram no painel de instrumentos com o mínimo de ícones e espaços entre os controlos, fornecendo ao mesmo tempo uma resposta tátil aquando do toque. Parecem simples, mas contêm tecnologia que ganha vida, como se de magia se tratasse, sempre que o condutor dela necessita».

Utsuroi (escrita japonesa: "移ろい")

Definição tradicional: Fluidez e assimetria, criada pela natureza

A equipa de estilo da Nissan considera que este termo é a essência da sua inspiração, implementando as expressões fluidas da natureza para criar novas formas com uma essência de propósito e equilíbrio.

Ouçamos Tai: «Podemos encontrar exemplos de utsuroi um pouco por todo o Nissan ARIYA. A tensão e as formas fluidas do exterior, especificamente os painéis laterais traseiros e a linha vincada única que percorre a carroçaria, expressam o design como sendo livre e englobando todo o automóvel. No interior, o painel de instrumentos longo e contínuo reflete esse exterior que flui livremente. Os elementos interiores, como a iluminação inteligente e os destaques em cobre, fluem da dianteira até à traseira do habitáculo para uma experiência consistente. A iluminação andon exala calor natural que é sentido por todos os ocupantes».

Engawa (escrita japonesa: "縁側")

Definição tradicional: O espaço indefinido entre o interior e o exterior; o espaço entre o aqui e o ali

Os edifícios tradicionais japoneses possuem um corredor estreito que percorre o exterior. Este espaço é chamado de engawa e pode ser fechado ou aberto para o exterior, como um alpendre. Representa um local ou espaço indefinido entre o interior e o exterior, entre o sítio onde se encontra e o sítio para onde vai. A Nissan considera que este conceito vai além do físico, englobando a informação digital e a forma como interagimos com ela no interior e no exterior do automóvel.

Diz Tai: «No Nissan ARIYA, engawa é representado pelo espaço de informações que liga o exterior e o interior do automóvel. Um exemplo é o movimento do ecrã, que nos ajuda a sentir o fluxo de informação de várias fontes nas pontas dos nossos dedos e a passagem do tempo através do seu espaço 3D digital».


Andon (escrita japonesa: "行燈")

Definição tradicional: Uma lanterna de papel japonesa que produz uma incandescência suave

A andon é uma lanterna de papel utilizada para iluminar as casas que data da era dos samurais. A lanterna consiste numa estrutura de madeira com um fino pedaço de papel esticado à sua volta. Uma vela colocada no interior produz uma luz quente que realça as imediações.

Para Arroba, «a iluminação andon no interior do Nissan ARIYA reforça a descontração, a atmosfera topo de gama e destaca a abertura do espaço para os pés e as portas. Encontrado no interior das portas dianteiras e sob o painel de instrumentos, o brilho da iluminação andon proporciona um ambiente calmo e acolhedor."

Kumiko (escrita japonesa: "組子")

Definição tradicional: Uma técnica tradicional japonesa encontrada nos trabalhos em madeira de estruturas reticuladas

Praticado apenas pelos artesãos mais hábeis, kumiko é um maravilhoso e complexo padrão geométrico utilizado há séculos.

Continua Arroba: «Um padrão kumiko reinventado pode ser visto no "escudo", que substitui a grelha utilizada num automóvel a combustão. Destacando a assinatura Nissan V-motion elétrica, o complexo padrão kumiko reside imediatamente sob a superfície suave do escudo. O kumiko foi também utilizado no interior do Nissan ARIYA, para envolver a luz da iluminação andon».

autonews.pt @ 20-7-2020 17:24:06

Galeria de fotos


Clique aqui para ver mais sobre: Auto News, Mercado Automóvel e Novidades