A Porsche agora vai para a China... de comboio

Usando a nova “Rota da Seda”

A Porsche tem tradicionalmente confiado no transporte rodoviário para sua logística de distribuição dos seus carros nos países europeus. E agora partir deste mês, o fabricante de carros desportivos também utilizará o transporte ferroviário para sua logística transcontinental.

autonews.pt @ 2-4-2019 20:37:31

Esta mudança significa que uma parte da sua produção vai ser transportada para os clientes chineses em transporte rodoviário usando a nova “Rota da Seda”, conseguindo uma poupança no tempo de transporte de até três semanas.

A quota da China nas vendas dos seus carros corresponde a 31% da venda da Porsche em 2018, tornando-se o mercado individual de maior volume para a marca. Atualmente, cerca de 80 mil carros da Porsche são despachados por transporte em navios até chegar a Guangzhou, Xangai ou Tianjin, cobrindo uma distância total de mais de 10.000 milhas náuticas, ou cerca de 18.500 quilómetros. 

E este transporte marítimo da fábrica até aos centros da Porsche na China leva uns bons 50 dias. A partir de agora, 11% dos carros esportivos novos serão exportados através do novo trilho ferroviário ao longo da Rota da Seda para o sudoeste da China.

A rota terrestre da Europa para a China é conhecida como a iniciativa Belt and Road (BRI) do governo chinês para a exportação ou importação de mercadorias e na prática é a conjugação de várias linhas de caminhos de ferro que ligam a China à Europa, passando por vários países, num total de 11 mil quilómetros. 

Esta rota passa pelo leste da Alemanha até a Polônia, Bielorrússia, Rússia e Cazaquistão e por fim chega à cidade de Chongqing, localizada centro sul da China.

O transporte na Nova Rota da Seda inicia-se agora após um conjunto de transportes de teste que foram bem-sucedidos. "Os nossos clientes no sudoeste da China receberão seu novo veículo muito mais rapidamente", explica Oliver Bronder da Porsche. "A utilização da rota ferroviária num total de viagem com 20 dias, encurta o período necessário para a logística de veículos em até três semanas, apesar de serem utilizadas diferentes bitolas e múltiplas transferências de contêineres."

autonews.pt @ 2-4-2019 20:37:31