Carros a Diesel sem grande valor daqui a cinco anos?

ACAP reage a declarações do Ministro do Ambiente

Esta semana o Ministro do Ambiente deu um conjunto de entrevistas relativas a possíveis novas políticas relacionadas com o caminho estratégico energético que Portugal deverá seguir nas próximas décadas. Uma das perspetivas anunciadas foi a relativa à mobilidade automóvel, sobre a qual referiu que “ ... é muito evidente que quem comprar um carro diesel muito provavelmente daqui a quatro ou cinco anos não vai ter grande valor na sua troca”. 

autonews.pt @ 29-1-2019 13:42:13

Sendo o segmento de carros movidos a diesel uma componente importante do mercado automóvel português, esta afirmação política levou a uma reação, também imediatamente tornada pública, da Associação Automóvel de Portugal (ACAP) que em comunicado fundamentou o seu ponto de vista relativamente às declarações do ministro do ambiente, as quais podem ter um impacto significativo num segmento importante nas vendas automóvel em Portugal, tanto em veículos novos como usados.

Para a ACAP “...estas declarações podem resultar de um desejo do Sr. Ministro, mas não têm qualquer correspondência com a realidade. Na medida em que Portugal está integrado na União Europeia e não existe qualquer regulamentação que aponte no sentido das declarações ...”.

A este propósito a ACAP lembra que a única legislação em vigor implica que “... desde setembro de 2018 todos os veículos diesel passam por um teste de homologação mais rigoroso no âmbito da Norma Euro 6d-TEMP, que terá uma nova fase ...” ainda mais estreita no terceiro trimestre de 2019.

Do ponto de vista da associação automóvel, a aposta comunitária vai no sentido de redução das emissões dos veículos diesel e não o seu desaparecimento como oferta no mercado de veículos automóveis.

Por outro lado, a ACAP sublinha que a indústria automóvel está, fortemente, empenhada na redução de emissões dos veículos, lembrando como argumento que “... 40% dos novos modelos anunciados para 2021, já terão a opção da motorização elétrica, defendendo ainda que a transição irá ser feita de forma gradual.

A este propósito a ACAP recorda que Portugal é o terceiro país da União Europeia com maior percentagem de vendas de veículos elétricos no total do mercado, tendo havido um crescimento de 148% relativamente a 2017.

Recorda contudo que esta percentagem ainda é de 1,8% do total do mercado e a este propósito lamenta que o Ministério do Ambiente tenha sucessivamente rejeitado a implementação de um programa de incentivo ao abate de veículos, para permitir renovar o nosso parque automóvel.

De um ponto de vista empresarial, a ACAP recorda também que “... a indústria automóvel é a principal indústria exportadora em Portugal e que o sector automóvel é o principal contribuinte líquido do Estado, ao ser responsável por mais de vinte cinco por cento do total das receitas fiscais.”

O comunicado oficial da ACAP afirma ainda em jeito de conclusão “... que não está prevista qualquer alteração de legislação, a nível europeu, a qual implique uma desvalorização dos veículos a diesel nos próximos anos.”.

autonews.pt @ 29-1-2019 13:42:13