AUDI TT FAZ 25 anos

Um ícone de design intemporal

Vinte e cinco anos, três gerações: A marca dos quatro anéis escreveu a história do design com o Audi TT. Desde o seu lançamento, em 1998, o automóvel desportivo conquistou o mundo inteiro graças ao prazer proporcionado aos condutores e à sua clara linguagem de design. A "Auto Europe" elegeu-o como o melhor automóvel novo do ano em 1999.

autonews.pt @ 11-5-2023 19:24:56

Em meados da década de 1990, o modelo de luxo A8 elevou a Audi a uma posição de destaque e conduziu, gradualmente, à mudança de nome das séries de modelos: O Audi 80 tornou-se o Audi A4 e o Audi 100 foi apelidado de Audi A6. Introduzido em 1994, o A4 foi o primeiro modelo a incorporar a nova linguagem de design da Audi. Seguiu-se o Audi A3, um automóvel compacto premium lançado em 1996 e a segunda geração do Audi A6, introduzida em 1997. 

No decurso do processo de tornar a marca mais emocional através de um design moderno e progressivo, o designer americano Freeman Thomas, sob a orientação do então Diretor de Design, Peter Schreyer, criou um automóvel desportivo purista com o Audi TT Coupé. A Audi apresentou o estudo a uma audiência entusiástica na feira IAA em Frankfurt em setembro de 1995. 

O nome do modelo "TT" é uma reminiscência da lendária prova Tourist Trophy na Ilha de Man, um dos mais antigos eventos de desportos motorizados do mundo e onde a NSU e a DKW celebraram grandes sucessos com as suas motos. O nome "TT" também recorda o desportivo NSU TT da década de 1960. O facto de o Audi TT Coupé se afastar deliberadamente da nomenclatura habitual da Audi sublinhou a completa novidade que o modelo representou.

Designer Torsten Wenzel: "No Audi TT, cada forma tem uma função clara"

Em dezembro de 1995, foi tomada a decisão de produzir em série o Audi TT Coupé. Torsten Wenzel, o designer de exteriores da Audi que ajudou a levar o estudo à produção em série, recorda: "Para nós, o maior elogio foi quando a imprensa especializada observou com apreço que pouco tinha mudado do estudo para o modelo de produção em série, embora tivéssemos, naturalmente, de adaptar muitos detalhes devido às especificações técnicas para a versão de produção em série, incluindo as proporções." O mais notório foi a integração de uma janela lateral traseira que alongou o perfil do automóvel e aumentou a dinâmica do modelo desportivo. Para Wenzel, o Audi TT continua a ser "uma escultura de condução, com superfícies e linhas da mais alta qualidade". 

A carroçaria do Audi TT parece ser feita de uma só peça, comenta, e a dianteira sem as tradicionais saliências do para-choques enfatiza a sua silhueta bem definida.

Outro elemento de design contribui para a silhueta inconfundível do Audi TT Coupé: o círculo - "a forma gráfica perfeita", como Wenzel a descreve. Inúmeros elementos circulares inspiraram o design exterior e interior do veículo desportivo. 

Inspirado pela Bauhaus, cada linha no Audi TT tem um objetivo, cada forma uma função. "No Design da Audi, seguimos sempre a filosofia de 'menos é mais'. Realçar o carácter único do Audi TT Coupé, reduzindo-o ao essencial, foi uma tarefa desafiante e especial para nós, designers."

Dois aniversários num só ano: A Audi Hungaria celebra em conjunto com o Audi TT

Em 1998, teve início a produção em série do Audi TT Coupé. Um ano mais tarde, a Audi lançou o TT Roadster. Tal como o show car e o Audi A3 lançado em 1996, o veículo desportivo baseia-se na plataforma de motor transversal do VW Golf IV. Desde o início, o TT foi produzido pela Audi Hungaria Motor Kft. na Hungria. As carroçarias pintadas do TT eram transportadas durante a noite por caminho-de-ferro de Ingolstadt para Győr, onde se realizava a montagem final. Este método de produção entre Ingolstadt e Győr era único na indústria automóvel naquela altura. 

A Audi Hungaria, uma subsidiária integral da AUDI AG, está também a celebrar o seu 30º aniversário em 2023. Fundada em fevereiro de 1993, originalmente apenas como uma fábrica de motores, a Audi Hungaria assumiu a montagem do Audi TT em 1998, em cooperação com a fábrica de Ingolstadt. Em 2013, a empresa evoluiu para uma unidade de produção de automóveis completa. Desde a sua fundação, a Audi Hungaria já produziu mais de 43 milhões de motores e quase dois milhões de veículos.

A gama de motores da primeira geração do Audi TT era vasta e, naturalmente, desportiva. A primeira geração do TT, por exemplo, estava equipada com motores turbo de quatro cilindros com um nível de potência que variava entre 150 e 225 cv e com uma motorização V6 com 250 cv. 

Um grande destaque da gama de motores foi o motor de quatro cilindros do Audi TT quattro Sport, com uma potência de 240 cv, tendo sido produzidas 1.168 unidades. Os clientes da primeira geração do TT tinham muitas opções quando se tratava de escolher equipamento especial. Para além das cores exclusivas, como o Papaya Orange ou o Nogaro Blue, os clientes podiam equipar o TT com acessórios especiais de fábrica. Por exemplo, o design "luva de basebol" para os bancos em pele do Audi TT Roadster, originalmente um elemento marcante no show car, passou para a produção em série. Ao longo de oito anos de produção, 178.765 Audi TT Coupé de primeira geração (Type 8N) saíram da linha de produção até meados de 2006. Exatamente 90.733 Audi TT Roadster foram fabricados entre 1999 e 2006.

Gama TT expande-se para incluir versões RS na segunda geração

Nas duas gerações seguintes, os designers mantiveram a "redução ao essencial" como princípio de design dominante, o que se torna evidente, por exemplo, no design minimalista do exterior e no interior elegante e orientado para o condutor. A forma arredondada e o motivo circular permaneceram típicos do portfólio TT e foram elementos unificadores no design exterior e interior. Por exemplo, na tampa do depósito de combustível em alumínio, nas saídas de ar redondas, na moldura da caixa velocidades e no seu característico manípulo.

A segunda geração do TT foi lançada em 2006 (Coupé) e 2007 (Roadster) e baseava-se na plataforma da segunda geração do Audi A3. Pela primeira vez, foram utilizados amortecedores adaptativos com tecnologia Audi magnetic ride. Disponível como opção, esta tecnologia adapta continuamente os amortecedores ao perfil da estrada e ao estilo individual do condutor. Em 2008, foi lançado o modelo desportivo TTS com um motor turbo de 2 litros e 272 cv, seguido um ano depois pelo TT RS com um motor turbo de 2,5 litros e cinco cilindros com 340 cv e 360 cv no Audi TT RS plus. Em 2008, a marca dos quatro anéis lançou o TT 2.0 TDI quattro - o primeiro automóvel desportivo de produção do mundo a ser equipado com um motor Diesel.

Terceira geração com toda a tecnologia do momento

A terceira geração do Audi TT foi lançada em 2014 - e, mais uma vez, a Audi usou a nova geração para reduzir o seu peso. O TT Coupé, com um motor 2.0 TFSI e transmissão manual, pesava apenas 1.230 quilos, até 50 quilos mais leve do que anteriormente. Para os novos TT e TT RS, os designers reinterpretaram as linhas inconfundíveis do TT original de 1998 para a era moderna. Enriqueceram-nas com inúmeras características dinâmicas, enquanto a tampa redonda do depósito de combustível com as típicas letras TT manteve-se fiel ao longo das gerações. Muitos pormenores do perfil também recordam deliberadamente o design clássico da primeira geração. 

Em termos técnicos, o TT de terceira geração apresentou várias inovações. Por exemplo, este modelo marcou a estreia do Audi virtual cockpit - um painel de instrumentos totalmente digital com ecrãs altamente detalhados e versáteis que substituíram os instrumentos analógicos - e do monitor MMI. Em 2016, uma nova era para a tecnologia de iluminação automóvel teve início no Audi TT RS, quando a Audi utilizou pela primeira vez elementos LED orgânicos, conhecidos como tecnologia OLED. 

A gama de motores do modelo desportivo também é impressionante: O modelo de topo era inicialmente o Audi TTS (Consumo combinado de combustível em l/100 km: 8,6-8,2; emissões combinadas de CO2 em g/km: 195-187) com um motor turbo de 2 litros e 310 cv, seguido em 2016 pelo TT RS (Consumo combinado de combustível em l/100 km: 9,3-8,8; emissões combinadas de CO2 em g/km: 210-201) com um motor turbo de 2,5 litros e cinco cilindros, uma das unidades mais emocionantes que a marca dos quatro anéis propõe. 

Com os seus 400 cv, este motor tem uma sonoridade desportiva e, além disso, foi eleito nove vezes consecutivas "International Engine of the Year". Com o modelo especial Audi TT RS Coupé iconic edition, pintado em Nardo Gray e limitado a 100 unidades, a Audi reúne os destaques de design e de tecnologia de um quarto de século do Audi TT para celebrar este ano de aniversário de 2023.

autonews.pt @ 11-5-2023 19:24:56

Galeria de fotos


Clique aqui para ver mais sobre: Sabia que, Curiosidades sobre Carros / Automóveis