Há 60 anos: Opel Kadett A criou o segmento dos modelos compactos

Sexta geração do Opel Astra inaugura uma nova era na classe dos compactos

Em 1936, a Opel foi o primeiro construtor de automóveis a lançar no mercado um automóvel compacto destinado às famílias e, acima de tudo, acessível: o Opel Kadett. Com a sua carroçaria monobloco em aço e o seu baixo peso, este modelo foi um pioneiro. 

autonews.pt @ 8-9-2022 11:44:47

Contudo, o fundador do atual segmento dos modelos compactos foi, na realidade, o Opel Kadett A de 1962. A grande bagageira, o espaço interior para quatro ocupantes, o motor com vivacidade e os baixos custos de manutenção foram as chaves do sucesso. Sem dúvida, o modelo ideal para o denominado “Milagre Económico Alemão”. A Opel produziu quase 650.000 unidades do Kadett A entre 1962 e 1965.

Há sessenta anos, a Opel - que este ano celebra o seu 160º aniversário - inaugurou uma nova era com o Kadett A, à semelhança do que a marca está hoje novamente a fazer com a sexta geração do Astra. O bestseller do segmento compacto prossegue a tradição da Opel de democratizar as inovações, e, pela primeira vez, está disponível com versões eletrificadas plug-in hybrid.

Em 2023, a gama Astra será reforçada como versões elétricas a bateria. Além disso, o novo Astra de cinco portas e o Astra Sports Tourer oferecem tecnologias de ponta, tais como os faróis adaptáveis e sem brilho IntelliLux® Pixel Light, formado por 168 elementos LED. O novo Astra é também uma afirmação de design para a marca alemã, ousado e genuíno graças à nova “face” da marca, o Opel Vizor. No interior, o habitáculo o apresenta o Pure Panel, uma interface homem-máquina de última geração, intuitiva e totalmente digital.

Opel Kadett A: o automóvel para o milagre económico

Após a guerra, a Opel reestruturou a sua gama de modelos. Nos anos do milagre económico, os automóveis práticos e acessíveis eram muito procurados. Em 1962, a Opel construiu uma unidade de produção totalmente nova em Bochum, especificamente para o Kadett A. O primeiro Kadett do pós-guerra saiu da linha de montagem em outubro de 1962.

O novo Kadett foi um excelente exemplo de construção de baixo peso. A berlina pesava apenas 670 quilos, a Caravan, que se seguiu pouco depois, apenas 720 quilos. Além disso, o Kadett era extremamente acessível, com preços desde 5.075 marcos alemães. Os engenheiros mantiveram a produção o mais simples possível. A carroçaria era constituída apenas por 12 componentes principais; os painéis laterais eram feitos de uma única chapa de aço.

Os baixos custos de manutenção do Kadett A também se deviam à sua concepção. Graças a articulações da suspensão e da direção isentas de manutenção, o modelo não necessitava de copos de lubrificação. Os custos de manutenção e das peças sobressalentes foram calculados meticulosamente. Uma inspeção de 10.000 quilómetros, incluindo materiais, custava apenas cerca de 30 marcos alemães.

Elegante, flexível, inovador e confortavelmente à frente da concorrência


O Kadett oferecia todas as vantagens que, nos anos 60, tornavam um modelo desejável: design elegante, elevada flexibilidade, tecnologias inovadoras e funcionalidades práticas. A linha de cintura era baixa e ampla superfície vidrada proporcionam uma boa visibilidade. O espaço interior surpreendeu os condutores que já tinham utilizado automóveis de pequenas dimensões. Era perfeitamente possível quatro pessoas viajarem com todo o conforto.

Além disso, a tampa do depósito de combustível situava-se no exterior, uma inovação que não estava disponível num certo outro construtor alemão de então. “Nunca sentirá o cheiro de gasolina no porta-bagagens”, no que foi uma mensagem direta para Wolfsburg. A espaçosa bagageira era, portanto, unicamente para colocação de bagagem.

Motor dianteiro e tração traseira: prazer de condução, comportamento neutro

Com o seu moderno motor dianteiro, arrefecido a água, o Kadett de tração traseira oferecia outra vantagem de conceção sobre o Carocha. Inicialmente, o motor de quatro cilindros com 993 cc desenvolvia 40 cv, tendo também, a partir de 1963, sido montado no novo Kadett Caravan.

O enérgico motor, com curso curto, impressionava graças à sua espontânea entrega de potência e elasticidade, permitindo ao Kadett atingir uma velocidade máxima de 120 km/h. O motor S de 1,0 litros com 48 cv, utilizado pela primeira vez no novo coupé a partir de 1963, podia mesmo a atingir 130 km/h de velocidade máxima.

Segundo uma brochura da época, “ao curvar e em pisos irregulares, o Kadett mantém uma invulgar estabilidade, mantendo-se sempre na sua faixa.” A distribuição de peso equilibrada e o novo eixo traseiro contribuíram para um comportamento dinâmico neutro e seguro.

Um automóvel tão espaçoso como um miniautocarro: a primeira Caravan

Uma vantagem significativa da geração Kadett A foi que toda uma família de versões, berlina, coupé e carrinha, podia ser construída a partir da mesma plataforma.

No Salão Automóvel de Genebra de 1963, cerca de seis meses após a estreia da berlina, a Opel apresentou o Kadett A Caravan, a primeira carrinha compacta alemã. Um opcional muito apreciado foi o banco para crianças virado para a retaguarda, e que permitia uma lotação até seis ocupantes. A Opel tornou-se rapidamente líder de mercado no segmento.

Em meados dos anos 60, na Alemanha, quase todas as carrinhas, utilizadas como segundo veículo da família, eram Opel. Desde então, um automóvel (“car”) semelhante a uma carrinha (“van”) - ou seja, “car-a-van” – tem feito parte de todas as novas gerações Kadett e Astra.

autonews.pt @ 8-9-2022 11:44:47

Galeria de fotos


Clique aqui para ver mais sobre: Sabia que, Curiosidades sobre Carros / Automóveis