Os reis da festa em Fronteira

Franceses e muito público

A fórmula repete-se desde 1998. A beleza natural do Alto Alentejo e os 16,4 quilómetros do Terródromo de Fronteira são o palco ideal para a mais importante prova de todo terreno de resistência disputada na Europa. Na 24.ª edição, a BP Ultimate 24 Horas TT Vila de Fronteira voltou a ser um enorme sucesso popular e desportivo, confirmando o estatuto ímpar da prova organizada pelo Automóvel Club de Portugal. Largos milhares de espetadores proporcionaram um ambiente difícil de traduzir em palavras, numa vila alentejana engalanada para receber mais de 300 pilotos de diferentes nacionalidades. 

autonews.pt @ 28-11-2022 13:53:23

No plano desportivo, o francês Laurent Poletti repetiu o triunfo de 2005, conseguindo a melhor combinação de velocidade e resistência ao volante do protótipo MMP, partilhado com Franck Cuisinier, Ronald Basso e Adrien Favarel. O português Marco Pereira conseguiu o segundo lugar com um Can-Am da categoria T3, integrado na formação do belga Sébastien Guyette, que também incluiu Antoine Vitse e Olivier Devos. A Toyota Hilux da família Reis também subiu ao pódio de Fronteira, com Avelino Reis, Tiago Reis, Edgar Reis e Daniel Silva.

Foram 1.440 minutos de luta contra o cronómetro, mas também contra os limites de homens e de máquinas, uma prova de superação que celebra o genuíno espírito do TT há quase um quarto de século. Em termos competitivos, quatro equipas passaram pelo comando da prova, e mais uma vez, os competitivos SSV da categoria T3 voltaram a incomodar os convencionais protótipos construídos em França, especificamente desenvolvidos para provas de TT de resistência.

Hegemonia quebrada

Desde 2010 que uma equipa 100% portuguesa não sobe ao lugar mais alto do pódio. A edição deste ano não foi exceção, apesar dessa esperança ainda ter sido alimentada na fase inicial da corrida, quando a família Reis, liderada pelo ex-campeão nacional Tiago Reis, assumiu o comando do extenso pelotão de 65 concorrentes, ao volante da Toyota Hilux.

Mas quando o protótipo MMP X4 Turbo da equipa de Poletti, Cuisinier, Basso e Favarel assumiu o comando, sensivelmente a meio da corrida, começou a ficar evidente que só um problema grave os destronaria da liderança, até pelo facto dos grandes favoritos, a equipa luso-francesa liderada pela família Andrade, ter sofrido problemas no motor do Proto AC Nissan, falhando a nona vitória (quarta consecutiva) em Fronteira.

“Foi uma corrida muito boa e o carro esteve simplesmente perfeito, sem registar um único problema. Parabéns à MMP", afirmou Laurent Poletti, que já participou 16 vezes nas 24 Horas TT de Fronteira. “Estou muito feliz com esta vitória, que já procurava há muito tempo. A prova de Fronteira é sempre especial. A pista é espetacular e muito dura, e a organização é sempre excecional”, destacou o piloto francês.

O Can-Am de Sébastien Guyette aproveitou a fase noturna e o início da manhã para consolidar o segundo lugar, terminando a quatro voltas dos vencedores... e com um estreante português em destaque. “Nunca tinha feito as 24 Horas, apenas as 4 Horas SSV, por isso é um resultado de sonho”, apontou Marco Pereira, que foi convidado por Guyette para integrar a equipa belga. “A noite foi difícil para mim, nunca tinha corrido à noite. Mas durante o dia desfrutei bastante, a pista estava espetacular, o tempo também esteve ótimo, por isso foi perfeito”, afirmou Marco Pereira, que venceu a categoria T3.


Uma família feliz

A família Reis conseguiu a melhor volta da corrida – em 9m46,070s, menos sete segundos do que a melhor volta dos vencedores -, mas a velocidade não é tudo em Fronteira e a equipa de Famalicão terminou no derradeiro lugar do pódio. “Correu muito bem, mas tivemos alguns azares pelo meio, infelizmente. À sexta volta, o carro começou a falhar depois de passar a ribeira, depois tivemos problemas com a caixa de direção durante a noite. Mas estamos contentes. Um pódio em Fronteira é sempre muito bom e fazê-lo em família é ainda mais importante. O meu pai é que impulsiona sempre esta prova, por isso, este pódio é dele", dedicou Tiago Reis.

O quarto lugar ficou para outra equipa totalmente portuguesa, formada por Amândio Alves, João Silva, Rogério Reis e Márcio Reis, com mais um protótipo da francesa MMP. O top 5 em Fronteira ficou completo com o Can-Am de Jorge Cardoso, Marco Cardoso, Alexandre Cardoso e João Oliveira.

Na categoria Promoção C, a vitória sorriu ao SEAT de Ismael Margarido, André Serrano, Filipe Galveias e Dino Canha, o mesmo acontecendo na Promoção A ao Suzuki Vitara de Joaquim Seiça, Paulo Soares, Luís Pedro Alves e Gonçalo Fernandes, e na Promoção B ao Citroën AX de Manuel Barreto, Rodrigo Daniel, Hugo Batista e João Paulo Oliveira. 

O triunfo nos T2 ficou para os belgas Pieter Backere, Julien Demuynck, Pieter Cracco e Steve Backere (Isuzu D-Max), enquanto nos SSV do grupo T4, os vencedores foram Pascal Rollet, Delphine Crosse e Christophe Girard, num Can-Am. 


Outros vencedores

Carla Gameiro, Cristela Marto, Paula Marto e Sílvia Reis formaram a equipa que arrecadou o troféu feminino, na segunda participação ao volante do Suzuky Jimny. Mas na aventura de Fronteira todos são vencedores, incluindo carros tão carismáticos como a Peugeot 504 Pick-up de Joaquim Serrão, que percorreu mais de 850 quilómetros (52 voltas), ou a Renault 4L de Samuel Lima, que também terminou a prova após duros 770 quilómetros no Terródromo de Fronteira. Uma festa de todos e para todos.

No sábado, a BP Ultimate 4 Horas SSV Vila de Fronteira consagrou Pedro Santinho Mendes, sobrinho do pluricampeão nacional Santinho Mendes. O piloto do Can-Am estreou-se a vencer na maratona dos SSV, na frente da dupla Wilson Galo/Gonçalo Guerreiro (Can-Am) e do ex-campeão nacional João Monteiro (Can-Am).

Miguel Oliveira, o herói nacional do MotoGP, fez questão de regressar à prova do ACP e terminou no 26.º lugar, num Can-Am partilhado com pai, Paulo Oliveira.

autonews.pt @ 28-11-2022 13:53:23

Galeria de fotos


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto, Formula 1, Ralis, Pista, TT