Fórmula E BMW Três lições aprendidas

No grande prémio de Santiago do Chile

A equipa BMW i Andretti Motorsport está a disputar a sua primeira temporada no campeonato de carros elétricos o ABB FIA Formula E. Os engenheiros da marca ganham mais experiência em todos os fins de semana de corrida e incorporam estas descobertas no desenvolvimento do BMW iFE.18 e na preparação para corridas seguintes.

autonews.pt @ 5-2-2019 11:34:41

E assim que após a corrida de Santiago do Chile a BMW i Andretti Motorsport decidiu partilhar as suas descobertas, para fazer mais e melhor.


1. Nenhuma hipótese no grupo de qualificação

António Félix da Costa (POR), vencedor da corrida inaugural em Ad Diriyah (KSR), ficou no primeiro grupo de qualificação dos quatro que houve em Santiago (CHL), o que não lhe deu qualquer hipótese.

As condições da pista eram tão difíceis que nenhum piloto do grupo um se classificou acima do 13º lugar da grelha de partida. A partir do grupo dois, que incluiu Alexander Sims (GBR), as condições permitiram tempos de volta mais rápidos. Sims foi capaz de igualar o ritmo de Sebastien Buemi (SUI), que estabeleceu o melhor tempo no grupo dois, nos dois primeiros setores. Somente no terceiro setor houve uma diferença substancial nos tempos.

Sims acabou por se qualificar em nono. Como os grupos são decididos por posições no Campeonato de Pilotos, os pilotos mais bem colocados, AFC está em terceiro lugar do campeonato, enfrentam as condições mais difíceis. O objetivo é tornar a corrida mais emocionante e imprevisível.


2. O calor desempenhou um papel fundamental

No Chile, as equipas enfrentaram condições de temperatura extremamente elevada. Durante a corrida, a temperatura do ar estava próxima dos 40 graus Celsius. Isso coloca a atenção na temperatura da bateria.

Graças a uma boa estratégia de gestão da energia, a BMW i Andretti Motorsport conseguiu manter-se dentro dos limites de temperatura das baterias Gen2. Enquanto a energia é normalmente o fator de restrição nas corridas de Fórmula E, desta vez foi a temperatura da bateria no calor de Santiago.

3. Precisão é vital

Um desafio especial para as equipas nesta 5ª temporada da Fórmula E, é aderir aos limites obrigatórios em várias áreas do carro - por exemplo, o consumo de energia, o nível de carga da bateria, as temperaturas dos travões e a pressão dos pneus. O trabalho de alta precisão é vital, tanto para os engenheiros como para os pilotos, já que as infrações e as menores discrepâncias são punidas com penalidades por parte dos regulamentos da competição.

autonews.pt @ 5-2-2019 11:34:41