Rivian revela mais alguns detalhes das suas propostas elétricas

Pick-up R1T e SUV R1S

Foi no Salão Automóvel de Nova York que a Rivian revelou mais alguns detalhes dos seus dois veículos elétricos, mais vocacionados para tarefas mais árduas como o todo terreno. Recordamos que esta empresa recebeu um investimento recente da Ford no valor de 500 milhões de dólares americanos. 

autonews.pt @ 1-5-2019 17:26:59

A relação entre as duas empresas é de alguma proximidade também na cooperação técnica para a construção de veículos elétricos, de que são exemplo a utilização que a Rivian faz nos seus testes de plataformas do F-150, um modelo da Ford especializado e líder nos EUA nos veículos de aventura e de trabalho mais árduo.

Na pick-up todo o terreno, o modelo R1T mostra espaços adicionais de armazenamento com aproveitamento do espaço debaixo das almofadas dos assentos traseiros e bancos da frente. Devido ao tipo de veículo que falamos, pick-up e suv, a capacidade geral de arrumação e carga é muito elevada. 

Para o R1T o veículo vem equipado com um pneu sobressalente de tamanho normal que pode ser removido para proporcionar mais espaço. Já no SUV, o modelo R1S, o pneu sobressalente é do tipo insuflável e está no piso da bagageira.

Na apresentação em NY ficou a saber-se que existem planos para três opções de acabamentos de cores interiores: Forest Edge (verde) Lunar Rock (cinza) e preto. Adicionalmente a marca prevê opções premium com misturas de vários tecidos e acabamentos mais nobres.

Relativamente à performance dos dois veículos, a marca refere 147 kW de potência independente em cada roda e naturalmente com controle de tração usualmente designado por vectorização de torque no caso dos elétricos. Na totalidade os quatro motores de cada veículo devem vir a permitir uma potência de tração combinada num total de 750 a 800 cavalos.

Na prática habitual dos carros elétricos da geração mais recente as propostas da Rivian assentam numa bateria de alta densidade com controle térmico. Tratando-se de veículos com fortes ambições todo o terreno a empresa isolou a bateria e sistemas de tração de forma a ser possível circular com água de até 90 cm de altura

Relativamente à condução autónoma a empresa prevê fornecer estes veículo com hardware e software para o nível 2, mas num sistema para posteriormente receber atualizações que permitam atingir o nível 3 de condução autónoma.

A estratégia da marca neste aspeto parece ser muito semelhante à que está já está a ser seguida pela Tesla, aqui no caso da Rivian com um elemento “picante” adicional e de grande ambição, pois falamos de veículos para todo o terreno.

Relativamente às baterias, o posicionamento da Rivian em “aventura fora de estrada” significa que a capacidade e a autonomia da bateria são componentes-chave para ser bem-sucedida. Neste sentido a marca sublinha muito os seus 180 kWh de bateria (praticamente o dobro do referido pelos outros fabricantes atuais). 

Em alternativa a marca refere também a proposta de 135 kWh com uma autonomia estimada de 450 quilómetros e performance dos 0 aos 100 de 3 segundos. A marca prevê lançar mais tarde uma outra proposta de 105 kWh permitindo uma autonomia de 170 km. 

Numa vantagem habitualmente pouco falada relativamente aos carros elétricos, a sua elevada capacidade de reboque, a marca indica que ambas as propostas deverão conseguir rebocar 5 toneladas.

A exemplo do recentemente anunciado pela Tesla, a marca prevê que os seus veículos estejam equipados com suspensão pneumática adaptável que permite performances dinâmicas adequadas para circulação em off-road ou autoestrada com um simples premir de opção no ecrã.

Relativamente ao mercado do Estados Unidos a marca indiciou um preço que se iniciará nos 70 mil dólares na fase de lançamento e previsão é que a produção se inicie em 2020, possivelmente já a competir com o muito antecipado off-road da Tesla.

autonews.pt @ 1-5-2019 17:26:59