Novo Mercedes-AMG C 63 S E Performance

Híbrido desportivo com adoção de tecnologia da Formula 1™

O novo Mercedes-AMG C 63 S E PERFORMANCE tem uma importância decisiva nos 55 anos de história da AMG. Com o saber-fazer da Formula 1™, traz as tecnologias de ponta do desporto automóvel para a estrada. Um motor elétrico de duas relações instalado no eixo traseiro apoia o motor turbo de 2.0 litros instalado longitudinalmente na dianteira. Este é o motor de quatro cilindros produzido em série mais potente do mundo.

autonews.pt @ 28-9-2022 10:57:24

A entrega de potência e de binário processa-se de forma extremamente espontânea e sem atraso: tal como na Formula 1™, a assistência elétrica ao turbocompressor dos gases de escape elimina o atraso do turbo na alimentação de ar do motor de combustão, ao mesmo tempo que o motor elétrico fornece tração de forma vigorosa no arranque. A cadeia cinemática elétrica e a bateria de elevado desempenho de 400 V são desenvolvimentos internos exclusivos da AMG. Realçam as elevadas competências de engenharia dos engenheiros de desenvolvimento de Affalterbach.

Tal como na Formula 1™, a bateria é projetada especificamente para um rápido fornecimento de energia com um inovador arrefecimento direto das células. A potência do sistema combinado é de 500 kW (680 CV), enquanto o binário máximo do sistema combinado é de 1030 Nm. Estes são novos valores máximos para o Classe C.

Outros destaques do novo modelo, que está a ser lançado simultaneamente nas variantes Limousine e Station: pela primeira vez num C 63, o sistema de tração integral totalmente variável AMG Performance 4MATIC+ é utilizado para transmitir força de tração à estrada e inclui um modo da transmissão Drift para um prazer de condução ainda superior. A isto acrescenta-se a direção ativa do eixo traseiro de série, outro equipamento único neste segmento.

Tal como na Fórmula 1, a bateria foi especificamente projetada para uma rápida entrega de potência e descarga. A autonomia elétrica de 13 quilómetros revela viabilidade prática para o dia a dia, por exemplo, para circular em cidade ou em zonas residenciais.

Design expressivo com o atraente para-choques dianteiro

A forma segue a função: o design do novo C 63 S difere do design do Mercedes-Benz Classe C com as suas proporções mais musculadas. As variantes Limousine e Station são ambas baseadas numa carroçaria AMG amplamente modificada. A secção dianteira é 50 milímetros mais comprida e as asas dianteiras são mais largas. Em suma, as dimensões exteriores gerais diferem consideravelmente das do Mercedes-Benz Classe C.

Em termos de comprimento, as variantes Limousine e Station medem mais 83 milímetros. A maior largura do eixo dianteiro resulta numa largura total da secção dianteira com mais 76 milímetros. E a distância entre eixos cresceu cerca de dez milímetros. Em suma, isto resulta numa configuração que confere ao novo C 63 S uma aparência poderosa, alongada e musculada.

A insígnia "E PERFORMANCE" nas asas indica uma cadeia cinemática híbrida. O C 63 S está equipado de série com jantes de liga leve AMG de 19 polegadas e uma combinação de pneus de medidas diferentes. Opcionalmente, estão disponíveis combinações de jantes e pneus de 20 polegadas, igualmente com combinação de pneus de medidas diferentes, onde se inclui uma nova jante forjada.

Várias pinturas e equipamentos estão também disponíveis para proporcionar uma maior individualização.

No interior, os bancos desportivos AMG com um design especial e um estofo com pesponto reforçam o requinte e o carácter distinto deste modelo. Estão também disponíveis outras opções de equipamento para o interior. As cores exclusivas e os vários revestimentos em pele napa com insígnia AMG estampada nos apoios de cabeça dianteiros salientam o carácter desportivo ou luxuoso do C 63 S.

O banco AMG Performance de segunda geração totalmente redesenhado está disponível como equipamento opcional. A sua característica especial é o apoio lombar com aberturas, que permitem não só reduzir o peso mas também uma melhor ventilação. Se for selecionado o revestimento em pele napa, este também inclui uma cor contrastante para um maior destaque. A forma do encosto do banco afunila até à sua secção inferior. O logótipo AMG está agora posicionado entre as aberturas cromadas mate abaixo do apoio de cabeça integrado.

Sistema multimédia MBUX com ecrãs específicos do sistema híbrido

O sistema de informação e de entretenimento MBUX inclui vários ecrãs e funções específicos da AMG e do sistema híbrido. Estes incluem ecrãs especiais no painel de instrumentos, no ecrã central multimédia com orientação de retrato na consola central e no ecrã projetado opcional.

A aparência do painel de instrumentos pode ser personalizada com diferentes estilos de indicação e vistas principais individualmente selecionáveis. O estilo de exibição Supersport específico da AMG disponibiliza a opção de apresentar vários conteúdos através de uma estrutura de menu vertical. Estes incluem um menu com temperaturas específicas do sistema híbrido ou um menu de configuração que apresenta as configurações atuais da suspensão ou da caixa de velocidades. Além disso, também é possível exibir um mapa de navegação ou os dados do consumo no estilo Supersport.

A isto acrescenta-se o botão de atalho para aceder aos programas da transmissão AMG DYNAMIC SELECT. O AMG TRACK PACE, o registador de dados para utilizar em pista, também está integrado.

Volante AMG Performance

O volante AMG Performance de série, com o seu design distintivo de raios duplos e os botões de controlo perfeitamente integrados, acrescenta também uma qualidade visível ao interior. Os botões de controlo do volante AMG posicionados com uma lógica de funcionamento perfeita rotação e pressão, permite ao condutor controlar importantes funções de condução, sem retirar as mãos do volante. Como novo equipamento, é possível selecionar os níveis de recuperação de energia da cadeia cinemática híbrida através dos botões de controlo do volante.

Cadeia cinemática híbrida E-Performance específica da AMG - motor de combustão na secção dianteira, motor elétrico na secção traseira

No novo Mercedes-AMG C 63 S E PERFORMANCE, o motor turbo de quatro cilindros e 2.0 litros de cilindrada é combinado com um motor elétrico síncrono de excitação permanente, uma bateria de elevado desempenho desenvolvida em Affalterbach e com um sistema de tração integral AMG Performance 4MATIC+ totalmente variável.

A potência do sistema de 500 kW (680 CV) e o binário máximo do sistema de 1020 Nm permitem um desempenho de condução impressionante: as variantes Limousine e Station aceleram dos 0 aos 100 km/h em 3.4 segundos.

A aceleração só termina à velocidade máxima limitada eletronicamente de 280 km/h (270 km/h na variante Station, em ambos os casos com o pack AMG Driver opcional).

O motor elétrico de 150 kW (204 CV) está instalado no eixo traseiro, onde está integrado com uma caixa de velocidades de duas relações de comando elétrico e com o diferencial traseiro eletrónico de deslizamento limitado, numa unidade de propulsão elétrica compacta (EDU). Os especialistas designam esta configuração como sistema híbrido P3. A bateria de elevado desempenho e baixo peso também está instalada na secção traseira acima do eixo traseiro.

A bateria de elevado desempenho da AMG

Quando a estratégia de eletrificação estava em processo de definição, era claro desde o início que todos os componentes essenciais seriam desenvolvidos em Affalterbach. Entre estes está a bateria de elevado desempenho da AMG (HPB). O desenvolvimento da bateria de iões de lítio foi inspirado pelas tecnologias já comprovadas nos monolugares de competição híbridos da equipa Mercedes-AMG Petronas F1.

No decurso do desenvolvimento, ocorreu uma troca intensa de conhecimentos especializados entre a fábrica de motores High Performance Powertrains (HPP) para a Fórmula 1 em Brixworth e a Mercedes-AMG em Affalterbach

Potência contínua de 70 kW e potência máxima de 170 kW

A bateria de elevado desempenho no C 63 S E PERFORMANCE tem uma capacidade de 6.1 kWh, fornece uma potência contínua de 70 kW e uma potência máxima de 150 kW durante dez segundos consecutivos. O baixo peso de apenas 89 quilos permite uma energia específica extremamente elevada de 1.7 kW/kg. Em termos de comparação, as baterias convencionais sem arrefecimento direto das células atingem cerca de metade deste valor.

O carregamento é realizado através do carregador de bordo de 3.7 kW, num posto de carregamento, na wallbox ou numa tomada elétrica residencial. A bateria foi projetada para fornecer e descarregar energia rapidamente e não para a máxima autonomia possível.

Todavia, a autonomia elétrica de 13 quilómetros permite uma utilização prática do veículo no dia a dia, por exemplo, para uma condução silenciosa e sem emissões desde uma zona residencial até aos arredores da cidade.

O impulso à inovação: o arrefecimento direto das células da bateria

Todas as baterias necessitam de funcionar a uma determinada temperatura para uma ótima entrega de energia. A base para o elevado desempenho da bateria de 400 V da AMG é o inovador sistema de arrefecimento direto: pela primeira vez, o moderno líquido de arrefecimento baseado em líquido não condutor de eletricidade circula em torno das 560 células e arrefece-as individualmente. Se a bateria arrefecer ou aquecer demasiado, perde energia ou será necessário regular a sua temperatura para evitar danos na eventualidade de aquecer excessivamente.

A temperatura consistente da bateria tem portanto uma influência decisiva no seu desempenho, vida útil e na segurança. Os sistemas de arrefecimento convencionais, que apenas arrefecem com ar ou com água indiretamente todo o pack da bateria, rapidamente atingem os seus limites - especialmente à medida que os requisitos continuam a aumentar devido às células com uma energia específica cada vez mais elevada. Se a gestão térmica não cumprir otimamente a sua função, a bateria pode deteriorar-se prematuramente.

Poderá ocorrer um aumento da temperatura média quando o veículo é conduzido a alta velocidade. Os mecanismos de proteção estão portanto configurados por forma a que possa ser obtido o desempenho máximo da bateria, com o subsequente arrefecimento até à temperatura pretendida através do arrefecimento direto.

Os sistemas de arrefecimento convencionais não conseguem satisfazer estes requisitos e portanto torna-se impossível explorar todo o potencial da bateria. Não é o caso da bateria de elevado desempenho da AMG: mesmo durante voltas rápidas em modo híbrido no autódromo, onde a aceleração (a bateria é descarregada) e a desaceleração (a bateria é carregada) são frequentes, o sistema de armazenamento de energia mantém o seu elevado desempenho.

Apenas o arrefecimento direto efetivo permite utilizar células com uma energia específica extremamente elevada.

Estratégia de funcionamento: energia elétrica sempre disponível

A estratégia de funcionamento básica deriva do powerpack híbrido dos monolugares da equipa Mercedes-AMG Petronas de Fórmula 1. Tal como na classe rainha do desporto automóvel, a propulsão máxima está sempre disponível quando o condutor a solicita ao pressionar totalmente o pedal do acelerador - por exemplo, para uma aceleração rápida à saída das curvas, ou aquando de uma ultrapassagem.

 A energia elétrica pode ser sempre solicitada e frequentemente recuperada através do elevado desempenho de recuperação e da recarga em função das necessidades. O conceito de bateria específico do veículo permite alcançar o ótimo compromisso entre a máxima dinâmica de condução e a eficiência contemporânea. Todos os componentes são perfeitamente coordenados: o ganho de desempenho pode ser sentido diretamente.

Oito programas da transmissão AMG

Os oito modos da transmissão da função AMG DYNAMIC SELECT, designadamente os modos "Electric", "Comfort", "Battery Hold", "Sport", "Sport+", "RACE", "Slippery" e "Individual" foram precisamente criados à medida para a nova tecnologia de propulsão e desta forma proporcionam uma ampla variedade de experiências de condução, desde uma condução com elevada eficiência até um comportamento extremamente dinâmico. Os modos da transmissão ajustam parâmetros importantes como a resposta da cadeia cinemática, da caixa de velocidades, da direção, do amortecimento da suspensão e do som.

A potência suplementar fornecida pelo motor elétrico também depende do programa da transmissão selecionado. Pode ser selecionado através do ecrã na consola central ou dos botões do volante AMG. Contudo, existe um elemento comum em todos os programas: a potência máxima do motor elétrico de 150 kW pode ser solicitada em qualquer momento através da função "kick-down". O pedal do acelerador tátil fornece um ponto de pressão tangível que o condutor deverá exceder com o seu pé.

Normalmente, o híbrido desportivo arranca silenciosamente ("Modo Silent") no programa da transmissão "Comfort" quando o motor elétrico está ligado. No painel de instrumentos, o símbolo "Ready" sinaliza que o veículo está pronto a ser conduzido. Adicionalmente, um poderoso som típico de arranque da AMG é emitido no interior através dos altifalantes do veículo como resposta acústica para mostrar que o veículo está preparado para arrancar. Um ligeiro pressionar do pedal do acelerador é tudo o que é necessário para colocar o híbrido desportivo AMG em movimento.

Nova experiência de som em todas as condições de condução

Quando o veículo é conduzido em modo totalmente elétrico, o Sistema de Alerta Acústico do Veículo legalmente obrigatório alerta os peões na zona circundante ao veículo de que o híbrido desportivo se aproxima.

Um som AMG de frequência baixa e modulada em função da velocidade, composto especialmente para o modelo, é emitido para o exterior através de um altifalante na secção dianteira e de uma barra sonora com dois altifalantes na secção traseira. O som também é audível a um baixo volume, na forma de resposta acústica para os passageiros. Na União Europeia, o sistema permanece ativo até à velocidade de 20 km/h, e até aproximadamente 30 km/h nos EUA. Posteriormente, o som de propulsão elétrica desvanece suavemente.

Se o condutor pretender, também pode experimentar o som de propulsão elétrica a velocidades superiores. Basta selecionar o som através do botão correspondente no volante (identificável pelo símbolo de forma de onda).

Adicionalmente, os engenheiros de desenvolvimento da AMG proporcionam aos clientes uma experiência de som mais avançada. Para esta finalidade, o veículo regista o som real do motor de combustão através de um sensor de pressão no sistema de escape e aperfeiçoa-o adicionalmente antes de ser emitido no interior através do sistema de som, possibilitando desta forma uma experiência de som típica da AMG. Além disso, o som é ainda modulado através dos altifalantes exteriores. Tudo de acordo com os requisitos legais aplicáveis nos respetivos mercados.


A propulsão híbrida pode controlar a tração de uma roda sem a intervenção do ESP

A propulsão híbrida também traz benefícios em termos de controlo de estabilidade. Ao invés da intervenção nos travões pelo ESP®, o motor elétrico também pode controlar a tração logo que seja detetado um excessivo deslizamento limitado numa roda. Para esta finalidade, o sistema de controlo inteligente reduz o binário do motor elétrico transmitido à roda em questão através do diferencial traseiro de deslizamento limitado. Como resultado, o ESP® não intervém de todo, ou intervém apenas mais tarde.

Vantagem: desta forma, o motor de combustão pode ser operado com um maior binário, que melhora a agilidade e aumenta a eficiência. Além disso, a energia cinética, que de outra forma seria desperdiçada durante a travagem, pode ser utilizada para carregar a bateria.

Recuperação regulável em quatro níveis

Como a bateria de elevado desempenho encontra-se sempre no intervalo de temperatura ótima a rondar os 45 graus, graças ao arrefecimento direto, a recuperação de energia também pode ser otimizada - normalmente uma bateria aquece significativamente durante uma elevada recuperação de energia e portanto é necessário limitar a intensidade de recuperação de energia.

A recuperação começa quando o condutor retira o seu pé do pedal do acelerador, ou seja, em modo desaceleração, sem pressionar o pedal dos travões. Isto permite carregar a bateria e cria um forte binário de travagem - os travões das rodas são sujeitos a um menor desgaste ou, em função do nível de recuperação de energia e da situação do trânsito, não é necessário aplicar os travões. Outra vantagem da recuperação: o veículo não aumenta de velocidade em descidas de declive acentuado. Portanto o sistema funciona como um travão-motor, mas também fornece energia à bateria.

O condutor pode selecionar um dos quatro níveis diferentes de recuperação de energia utilizando o botão no lado direito do volante AMG.

Motor AMG de 2.0 litros com assistência elétrica ao turbocompressor dos gases de escape

O motor AMG de quatro cilindros e 2.0 litros de cilindrada foi desenvolvido totalmente na sede da empresa em Affalterbach. Os técnicos experientes produzem-no com qualidade de fabrico manual de acordo com o princípio "Um Homem, Um Motor".

O motor designado internamente de M139l (a letra "l" corresponde à instalação longitudinal) é o primeiro motor produzido em série do mundo a ser sobrealimentado com um turbocompressor dos gases de escape assistido eletricamente, adotado diretamente da tecnologia que a equipa Mercedes-AMG Petronas F1 tem utilizado com tanto sucesso durante muitos anos na classe rainha do desporto automóvel.

A nova forma de sobrealimentação garante uma resposta particularmente espontânea em toda a gama de rotação do motor. Isto dá origem a uma experiência de condução ainda mais dinâmica, ao mesmo tempo que permite aumentar a eficiência. Contudo, comparado com os seus irmãos  C 43 4MATIC e SL 43, o turbocompressor no C 63 S tem dimensões significativamente superiores. Isto permite um caudal de ar superior e desta forma uma maior potência. Adicionalmente, o motor elétrico integrado é alimentado pelo sistema elétrico de alta tensão de 400 V (48 V nos modelos 43).

No C 63 S, a unidade de quatro cilindros desenvolve 350 kW (476 CV) de potência às 6750 rpm. Este nível de potência faz com que seja o motor de quatro cilindros produzido em série mais potente do mundo. O binário máximo de 545 Nm está disponível entre as 5000  e as 5500 rpm.

A potência da cadeia cinemática é transmitida através da caixa de velocidades AMG SPEEDSHIFT MCT 9G (MCT = Multi-Clutch Transmission), na qual uma embraiagem viscosa de arranque substitui o conversor de binário. Reduz o peso e, graças à sua inércia inferior, melhora a resposta às solicitações no pedal do acelerador, especialmente durante as variações de carga.

Suspensão AMG RIDE CONTROL com Sistema de Amortecimento Adaptativo

A suspensão com molas helicoidais de série AMG RIDE CONTROL com Sistema de Amortecimento Adaptativo combina o comportamento dinâmico desportivo com o conforto em viagens longas, que é uma característica reconhecida da marca.

Direção paramétrica AMG de três fases e direção do eixo traseiro de série

A configuração da direção também contribui para o aumento da dinâmica e do conforto de condução. O sistema de direção paramétrica AMG de três fases, por exemplo, é caracterizado por uma relação de transmissão variável que se adapta ao programa da transmissão selecionado. A elevadas velocidades, a assistência à direção diminui; a baixas velocidades é aumentada progressivamente. Como resultado, é necessário um esforço comparavelmente muito reduzido a baixas velocidades, bem como em manobras e durante o estacionamento, enquanto o melhor controlo possível do veículo é mantido quando conduzido a velocidades superiores. Nas configurações "Sport" e "Sport+" da suspensão, o condutor também sente uma resposta significativamente superior da direção através do volante.

A direção do eixo traseiro de série varia o ângulo de direção das rodas traseiras até um máximo de 2.5 graus. Até este ponto, as rodas traseiras são direcionadas para o lado oposto ao das rodas dianteiras até à velocidade de 100 km/h (variável em função da configuração do AMG DYNAMICS). Isto origina uma redução virtual da distância entre eixos, que por sua vez resulta em manobras na direção mais ágeis, em menor esforço de manobra do volante e numa melhoria da capacidade de manobra do veículo. Por exemplo, o diâmetro de viragem é notoriamente reduzido em manobras de mudança de direção ou de estacionamento.

autonews.pt @ 28-9-2022 10:57:24

Galeria de fotos


Clique aqui para ver mais sobre: Auto News, Mercado Automóvel e Novidades