Condução condicional automatizada: Mercedes-Benz lança Drive Pilot

Sistema nível 3 pode ser encomendado para Classe S e EQS na Alemanha

A Mercedes-Benz divulgou os detalhes do lançamento de vendas do DRIVE PILOT na Alemanha. O sistema de condução condicionalmente automatizado (SAE Nível 3) pode ser encomendado a partir de 17 de Maio de 2022 como um extra opcional para o Classe S por 5.000 Euros e para o EQS por 7.430 Euros (Pacote de Assistência ao Condutor Plus: 2.430 Euros e DRIVE PILOT: 5.000 Euros) sem IVA. 

autonews.pt @ 12-5-2022 12:23:47

Isto faz da Mercedes-Benz o primeiro fabricante de automóveis do mundo com uma certificação internacional válida para a condução automatizada condicional, para oferecer tal sistema como uma opção ex-works para veículos da produção em série. O DRIVE PILOT permite aos clientes entregar a tarefa de condução ao sistema sob determinadas condições em situações de tráfego intenso ou de congestionamento em troços de autoestrada adequados na Alemanha até uma velocidade de 60 km/h.

Para os clientes, isto significa a derradeira experiência de condução. Podem relaxar ou trabalhar e recuperar um tempo valioso.

Após ativar o DRIVE PILOT, o sistema controla a velocidade e distância, e guia o veículo dentro da sua faixa de rodagem. O perfil da rota, os eventos que ocorrem na rota e os sinais de trânsito são todos analisados e tidos em consideração. O DRIVE PILOT também reage a situações inesperadas de tráfego e trata-as independentemente, por exemplo, através de manobras evasivas dentro da faixa de rodagem ou utilizando manobras de travagem.

O sistema da Mercedes-Benz para condução condicionalmente automatizada (SAE-Level 3) baseia-se na tecnologia de deteção de veículos do Pacote de Assistência à Condução e inclui sensores adicionais que o fabricante considera indispensáveis para um funcionamento seguro. Estes incluem principalmente radar, LiDAR e câmaras de video, mas os sensores de ultrassom e de humidade também fornecem dados valiosos.

Paralelamente ao lançamento bem sucedido do DRIVE PILOT na Alemanha, a Mercedes-Benz pretende obter a aprovação de séries regulamentares para os dois estados americanos da Califórnia e Nevada até ao final do ano, desde que a situação legal permita o funcionamento do sistema.


Redundância para uma condução segura e condicionalmente automatizada

A operação de veículos condicionalmente automatizada de acordo com o SAE-Level 3 requer uma conceção do sistema que deve permitir que qualquer mau funcionamento - tanto simples como mais grave - seja gerido com segurança.

A arquitetura redundante inclui o sistema de travagem, a direcção, a fonte de alimentação, bem como partes da tecnologia dos sensores, tais como as de sensibilização ambiental e cálculo da dinâmica de condução. A bateria, o motor de direcção, os sensores de velocidade das rodas e os vários algoritmos utilizados pelo sistema para calcular os dados também têm uma conceção redundante.

Além disso, partes da tecnologia de sensores são também funcionalmente redundantes, pois complementam-se mutuamente com os seus diferentes conceitos físicos (por exemplo, ótico, ultrassónico, ondas de rádio), permitindo assim uma transferência segura. A Mercedes-Benz está assim a estabelecer padrões inteiramente novos de segurança na condução automatizada.

No caso improvável de um mau funcionamento, o veículo permanece manobrável devido à sua conceção redundante do sistema, permitindo ao DRIVE PILOT efetuar uma transferência segura para o condutor.

Se o condutor não cumprir o pedido de tomada de controlo no prazo máximo de dez segundos, por exemplo devido a uma emergência médica, DRIVE PILOT inicia imediatamente uma paragem de emergência que é segura tanto para o veículo como para o tráfego seguinte. Para este efeito, o Controlador de Condução Inteligente calcula continuamente a trajetória ótima para chegar a uma paragem segura.

Entretanto, a manobrabilidade do DRIVE PILOT é concebida para manter o veículo dentro da sua faixa de rodagem e evitar colisões com outros utentes da estrada e objetos na estrada.


Posicionamento preciso para operar DRIVE PILOT

A localização exata de um Mercedes equipado com DRIVE PILOT é determinada utilizando um sistema de posicionamento de alta precisão que é muito mais potente do que os sistemas GPS convencionais.

Para além dos dados anónimos recolhidos pelo LiDAR, câmara, radar e sensores de ultrassom, um mapa HD digital fornece uma imagem tridimensional da estrada e arredores com informação sobre a geometria da estrada, características da rota, sinais de trânsito e eventos especiais de trânsito (por exemplo, acidentes ou obras na estrada).

Este mapa de alta precisão difere dos mapas para dispositivos de navegação, entre outras coisas, pela sua maior precisão no alcance de centímetros em vez de metros e pelo seu modelo detalhado de cruzamento e rota. Os dados do mapa são armazenados em centros de dados backend e atualizados constantemente. Cada veículo armazena também uma imagem desta informação cartográfica a bordo, compara-a constantemente com os dados do backend e atualiza o conjunto de dados local conforme necessário. Tudo isto permite um posicionamento estável e preciso através de uma representação do ambiente que é independente de fatores tais como sombras ou sensores sujos.

DRIVE PILOT: Legalmente em conformidade com a estrada

A Mercedes-Benz está a assegurar que a nova tecnologia está a ser colocada na estrada de uma forma legalmente compatível.

Engenheiros, advogados, gestores de conformidade, responsáveis pela proteção de dados e especialistas em ética trabalharam todos em conjunto no processo de desenvolvimento.

Uma base para a condução automatizada é fornecida por mecanismos de controlo adicionais, por exemplo: Para funções relevantes para a segurança, tais como a deteção de peões, os engenheiros da Mercedes-Benz não utilizam deliberadamente algoritmos, por exemplo, através de abordagens de autoaprendizagem. O foco é mais no que é conhecido como "aprendizagem supervisionada" - o que significa que a Mercedes-Benz define e controla o que a inteligência artificial é autorizada a aprender.

Antes de o software de IA ser utilizado nas estradas, são efetuados testes de validação extensivos para assegurar que a IA funciona como desejado em condições reais de tráfego. No caso da deteção de peões, a IA ajuda o sistema a identificar objetos e situações na estrada e junto à mesma de forma rápida e segura. A exigência ética do fabricante de automóveis é que o processo de deteção seja não discriminatório.

Isto significa que os vários sensores do veículo monitorizam permanentemente a estrada e a beira da estrada, para detetar sempre as pessoas corretamente, independentemente do seu vestuário, tamanho do corpo, postura ou outras características.

Quadro legal: A Alemanha é pioneira na condução automatizada

Com a abertura da Lei de Trânsito Rodoviário (StVG) para sistemas de Nível 3 em 2017, a Alemanha foi o primeiro país a criar uma base jurídica para a utilização pretendida destes sistemas. O regulamento de aprovação técnica com o qual tal sistema pode ser certificado só entrou em vigor no início de 2021. Desde então, pode ser implementado na Europa - uma oportunidade que a Mercedes-Benz foi rápida, e o primeiro fabricante, a agarrar.

A Mercedes-Benz é a primeira empresa automóvel do mundo a cumprir os exigentes requisitos legais do Regulamento Nº 157 da ONU para um sistema de nível 3.

Em detalhe, isto resulta em requisitos para o veículo e deveres para o condutor: No modo de condução automatizada condicional, o veículo deve dominar a tarefa de condução em segurança e cumprir todos os regulamentos de trânsito. O condutor ainda tem deveres na circulação rodoviária pública, em particular o cumprimento de outras regras de trânsito. Para tal, o condutor deve permanecer pronto para assumir e retomar o controlo quando solicitado pelo DRIVE PILOT ou devido a circunstâncias óbvias.

Com numerosas inovações técnicas, a Mercedes-Benz tem constantemente estabelecido a referência em segurança automóvel desde que inventámos o automóvel em 1886. A segurança é um dos valores centrais da marca. Por exemplo, a Mercedes-Benz tem vindo a oferecer há anos sistemas avançados de assistência ao condutor (SAE-Level 2) nos seus veículos.

Estes sistemas podem facilitar muito a vida em muitas situações quotidianas e ajudar no controlo de velocidade e distância, na direcção ou nas mudanças de faixa, por exemplo.

A Mercedes-Benz foi o primeiro fabricante de automóveis do mundo a receber a aprovação internacional de sistemas válidos para a condução condicionalmente automatizada em Dezembro de 2021. E quando se trata de estacionamento, a marca vai um passo além - com a pré-instalação do “PILOTO DE PARQUE INTELIGENTE” (INTELLIGENT PARK PILOT), que permitirá no futuro um estacionamento totalmente automatizado e sem condutor ao nível 4 do SAE.

autonews.pt @ 12-5-2022 12:23:47

Galeria de fotos


Clique aqui para ver mais sobre: Auto News, Mercado Automóvel e Novidades