Tesla compra empresa de tecnologia de baterias sólidas

218 milhões: melhores baterias para o futuro

Para quem tem, ou quer comprar um carro elétrico, a ansiedade da autonomia disponível para se movimentar é uma realidade, mas o mais recente investimento da Tesla pode tornar mais agradável este aspeto algures numa próxima geração dos modelos deste fabricante.

autonews.pt @ 5-2-2019 16:35:45

O fabricante de automóveis pretende adquirir a empresa norte-americana Maxweel Technologies um fabricante especializado em baterias de tecnologias avançadas, designadamente os ultra-capacitadores e pseudo-capacitadores (as chamadas de “baterias sólidas”), por exemplo, que podem ser carregados de forma muito rápida e têm capacidades de armazenamento superior às actuais baterias de lítio para um mesmo volume.

Nos números tornados públicos, trata-se de um negócio de fusão entre a Tesla e a Maxwell, ainda dependente de autorizações da entidade da concorrência, e que pela valorização das acções do fabricante de baterias, corresponde a um valor de aproximadamente 200 milhões de dólares americanos. Neste negócio a Maxwell passará a ser uma subsidiária da Tesla, recebendo esta também o direito de aplicar as patentes da Maxwell.

Melhorar o desempenho da bateria dos automóveis tem sido o grande objetivo dos fabricantes de veículos elétricos e assim não é de surpreender esta aquisição da Tesla, que tem muita experiência nas já tradicionais baterias de íons de lítio. Num artigo científico publicado no ano passado, os pesquisadores da Maxwell, Joon Shin e Hieu Duong, disseram que a empresa desenvolveu elétrodos de bateria "secos" que permitiram "densidade de energia incomparável e ciclo de vida mais longo" em comparação com a solução de lítio, tem temperaturas de operação mais amplas, ciclos de vida mais longos e adicionalmente também é um processo menos poluente aquando da reciclagem em fim de vida.

Outra das especializações da Maxwell são baterias específicas para utilização em transporte pesado como comboios, autocarros e tratores de camiões.

autonews.pt @ 5-2-2019 16:35:45