“Com o BMW iFE.18 criamos algo muito emocionante” Fórmula E

Entrevista com António Félix da Costa

No próximo dia 15 de dezembro, a corrida de abertura em Ad Diriyah (KSA) mostra a equipe da BMW i Andretti Motorsport em sua primeira temporada no campeonato de Fórmula E da ABB FIA. 

autonews.pt @ 27-11-2018 12:08:37

O piloto português da BMW, António Félix da Costa (AFC) corre na Fórmula E desde a 1ª temporada e agora, juntamente com a BMW i Andretti Motorsport, abre um novo capítulo da sua carreira.

Na preparação da 5º temporada da Fórmula E, o piloto fala agora sobre o impressionante desenvolvimento da Fórmula E e os seus novos desafios com este novíssimo BMW iFE.18.

AN: António, a 5ª Temporada do Campeonato de Fórmula E da ABB FIA marcará a sua quinta temporada neste campeonato. Como tem sido esta experiência?

AFC (António Félix da Costa): “Estando a participar desde o início deste campeonato com carros de corrida de alta performance exclusivamente elétricos, foi realmente impressionante acompanhar o crescimento e as mudanças na Fórmula E ao longo das últimas quatro temporadas. Começou como algo em que as pessoas realmente não acreditavam, inclusive eu, e agora é algo que todos os pilotos querem fazer parte. Adicionalmente, repare quantos fabricantes de topo da indústria automóvel  entraram, repare quantos fãs participam e o elevado nível de patrocinadores envolvidos. Isto realmente ativou o interesse do mundo do automobilismo. Tem sido uma jornada realmente massiva para todos nós e agora é um campeonato que todos levam a sério. Tornou-se realmente muito grande ”.

AN: O que muda para você pessoalmente com a BMW entrar como fabricante?

AFC: “Ser piloto da BMW na Fórmula E é algo que eu desejei desde o início. Desde o meu arranque de participação que tinha esperança que a BMW estivesse envolvida algures no futuro e agora, nesta quinta temporada a BMW está a entrar da forma completa e profundamente envolvida. Na verdade, todas as peças do quebra-cabeça estão a juntar-se de acordo com um plano e que resulta. Estou realmente ansioso por esta temporada - espero em conjunto com a BMW conseguir os melhores resultados. ”

AN: Até que ponto este campeonato da Fórmula E pode melhorar com a entrada da BMW e de outros fabricantes de topo?

AFC: “Um grande fator de sucesso do campeonato foi a quantidade de fabricantes que iriam aderir. A BMW é um fabricante de enorme sucesso em todo o mundo e, na quinta e sexta temporadas, eles serão acompanhados por outros grandes players, incluindo a Porsche, Mercedes, Audi, Nissan e Jaguar. Para qualquer campeonato, ter esse nível de interesse e comprometimento dos líderes do setor é muito estimulante e sugere que temos um futuro muito forte ”.

AN: Como é empolgante fazer parte de um projeto totalmente novo como o BMW iFE.18?

AFC: “É realmente emocionante fazer parte de algo novo. Ainda sou jovem e por isso poder desenvolver um novo projeto dentro de uma empresa como a BMW é ótimo. Há muitas pessoas importantes envolvidas em Munique que estão muito empolgadas em ver esse novo “bebé” nascer e crescer o mais rápido possível ”.


AN: Como se sente ao conduzir o BMW iFE.18?

AFC: “O novo carro ficou ótimo desde o primeiro dia. A condução é muito boa. É claro que, como todos os que estavam na grelha, estávamos preocupados com a forma como nos comportaríamos frente aos nossos concorrentes, mas aparecemos no teste de Valência e mostrámos que temos um carro fiável e de bom desempenho. Com o BMW iFE.18, criamos algo muito empolgante e mal posso esperar para competir nesta quinta temporada. ”

AN: Até que ponto o seu trabalho em pista pode contribuir para as próximas gerações de carros de produção movidos a eletricidade?

AFC: “Para a BMW, ter o projeto da Fórmula E permite que o desafio seja ainda mais forte. O programa de corrida permite ao fabricante ter testes, um laboratório, para o desenvolvimento do sistema de propulsão elétrica. Com este trabalho encorajamos os fabricantes de carros de estrada a realmente impulsionar e a irem tão depressa  quanto puderem com suas ferramentas de desenvolvimento. Eu acho que a Fórmula E já ajudou a BMW a definir a fasquia com a mobilidade elétrica e acho que ajudará a elevá-la ainda mais nos próximos anos ”.

AN: Até que ponto os carros elétricos são divertidos de conduzir?

AFC: “Os carros elétricos são ótimos, divertidos e emocionantes e eu acho que a Fórmula E é uma maneira fantástica de mostrar isso. Na Fórmula E, temos que gerir a nossa energia para chegar ao fim, mas isso é uma motivação adicional para nós. O nosso objetivo é reduzir o consumo de energia e, se aprendermos novos estilos de condução, isso é algo que podemos levar para a maneira como conduzimos no dia a dia em estrada”.

AN: Voltando às corridas: Quais são as principais diferenças técnicas entre o BMW iFE.18 e o carro da primeira geração (temporadas 1 a 4)?

AN: Voltando às corridas: Quais são as principais diferenças técnicas entre o BMW iFE.18 e o carro da primeira geração (temporadas 1 a 4)?


AN: Quais são as novas regras relativas aos modos de energia disponível no carro?

AFC: “Durante as corridas vamos agora correr a 200 kW em toda a prova, que foi o limite máximo do ano passado quando estávamos mo momento de qualificação. Este ano em qualificação temos agora 250 kW disponíveis. Em corrida, este ano também teremos o "Modo de Ataque": o piloto tem que ficar um pouco off-line para ativá-lo, e durante um certo período de tempo este modo mais agressivo pode ser ativado para uma execução de potência de 225 kW. Esta situação vai permitir-nos andar mais rápido, atacar, defender e encoraja os todos os pilotos a executar estratégias diferentes durante a corrida. ”

AN: Quais os desafios especiais que o António, como condutor, e o carro enfrentam nos circuitos estreitos e muitas vezes irregulares?

AFC: “As pistas da rua, urbanas, são sempre um grande desafio para os pilotos de corrida. Tradicionalmente, estes circuitos apenas aparecem um ou duas vezes por temporada, mas na Fórmula E quase todas as corridas são pistas urbanas, o que é um incrível novo desafio. Sempre gostei de circuitos de rua e, mesmo antes da Fórmula E, tive grandes recordações de ter vencido duas vezes o Grande Prémio F3 de Macau e de estar no pódio no Mónaco. Pessoalmente gosto de perfis de circuitos muito desafiadores que não dão espaço para erros. ”

AN: Quais são as suas expectativas para o arranque em Ad Diriyah a 15 de Dezembro e para a 5ª temporada em geral?

AFC: “O teste em Valência correu bem para nós. Estar no topo dos melhores tempos de corrida dá-nos muita confiança, mas precisamos de manter alguma humildade. Os nossos concorrentes são extremamente fortes, e assim estamos com uma abordagem cauteloso em Ad Diriyah, na Arábia Saudita. Não temos certeza do que esperar desta primeira corrida, mas avançamos para esta primeira corrida com toda a força e motivação que temos e, a partir daí, vamos construir as nossas metas e expectativas para a temporada. ”

autonews.pt @ 27-11-2018 12:08:37