Novo protótipo Alpine A110 E-TERNITE

Um 100% elétrico na vanguarda da inovação da marca

"Quero eletrificar a Alpine para preservar o seu nome para toda a eternidade". Esta frase foi “cunhada” por Luca de Meo pouco depois da chegada ao Grupo Renault. O desafio foi aceite por Laurent Rossi, CEO da Alpine, e pelos engenheiros da marca. Em menos de um ano, uma equipa transformou esta ideia louca numa realidade e, para cúmulo, aproveitou ainda a oportunidade para remover o tejadilho.

autonews.pt @ 25-7-2022 12:31:44

O A110 E-ternity, 100% elétrico, é o resultado deste trabalho exploratório. Surge para celebrar o 60º aniversário. Fazendo a ponte entre um passado prodigioso e um futuro 100% elétrico, ilustra o trabalho que a Alpine implementa, atualmente, para desenvolver a sua gama de novos modelos.

Um desafio impossível

Durante mais de dez anos, o Grupo Renault foi pioneiro no campo dos automóveis elétricos, adquirindo uma vasta e valiosa experiência em todas as áreas da indústria automóvel. É, portanto, bastante natural que as equipas da Alpine tenham começado a pensar neste tema desde muito cedo.

A chegada de Luca de Meo e o anúncio de uma gama 100% elétrica, na Alpine, deu uma orientação clara para o trabalho das equipas e uma oportunidade de trabalhar nos elétricos de uma forma exploratória. No espírito "restomod", o A110 tornou-se a plataforma ideal para este trabalho de investigação, uma ponte entre um passado prestigiante e um futuro ainda mais ambicioso.

Assim, o objetivo é claro: eletrificar os próximos automóveis Alpine e porque não começar pelo A110, um ícone dos desportivos, conhecido pelo baixo peso e agilidade, dentro de um orçamento realista.

"Uma contradição insolúvel" para alguns, "um desafio digno da Alpine" para as apaixonadas equipas da marca.

Tecnologia e inovação no coração do projeto

O caderno de encargos era simples: eletrificar o A110, equiparando-o em termos de desempenho, equilíbrio e agilidade ao Alpine A110 com motor de combustão, mas capitalizando, ao mesmo tempo, os pontos fortes, a experiência e as tecnologias do Grupo.

Para apimentar um pouco mais este desafio, a Alpine acrescentou quatro inovações ao caderno de encargos:

. um sistema multimédia inovador, que utiliza o tablet pessoal do condutor para uma experiência de conectividade intuitiva e natural, baseada no Google ou em Android, permitindo que todas as aplicações do utilizador sejam centralizadas num único dispositivo.

. um sistema áudio de última geração, com 8 altifalantes para recriar um som surround.

. materiais inovadores para aliarem desempenho e sustentabilidade.

. uma solução "descapotável” que permite desfrutar da quietude da tecnologia elétrica: o sonho de poder conduzir um Alpine A110 elétrico, ao ar livre, sem qualquer ruido.


Unidade motriz e módulos de bateria provenientes do grupo

Como marca do Grupo Renault, era natural, para este novo projeto, olhar primeiro para as peças e tecnologias já disponíveis internamente. Os módulos de bateria são idênticos aos do Mégane E-Tech 100% elétrico.

No entanto, para conseguir uma distribuição ótima do peso e para acomodar os doze módulos, foi necessário conceber caixas de bateria específicas para o A110 e adaptar a arquitetura interna.

Quatro módulos foram assim colocados à frente e oito atrás. Para responder a este desafio, os engenheiros posicionaram estes módulos no espaço de uma forma "atípica".

Apesar da adição destes doze módulos, o peso total do Alpine A110 E-ternité permanece particularmente baixo, com um aumento de apenas 258 kg, graças a uma massa contida para o conjunto de baterias (392 kg).

Uma caixa de velocidades desenvolvida pela Alpine

A fim de conseguir o melhor compromisso entre a aceleração dos 0 a 100 km/h, velocidade máxima e a autonomia elétrica, através do armazenamento de energia elétrica que requer grandes baterias, foi adicionada uma caixa de velocidades inovadora ao motor "standard" do Grupo.

Nenhuma das opções de caixa de velocidades disponível internamente permitiu aos engenheiros da Alpine satisfazer as necessidades do A110 E-ternité de encontrar uma caixa de velocidades suave e eficiente, sem quebra de binário, mas também leve e compacta.

Assim, uma caixa de velocidades foi estudada internamente, com o fornecedor de caixa de velocidades da Alpine, de dupla embraiagem (DCT) com controlo eletrónico, como no motor de combustão A110, mas com embraiagens dimensionadas para lidar com binários elevados. A solução da dupla embraiagem permite evitar uma quebra no binário enquanto se mantém compacta e leve.

Sistema eletrónico: o bem-sucedido transplante de duas tecnologias

A equipa Alpine mostrou engenho no sistema eletrónico adotado, misturando duas arquiteturas de equipamento eletrónico separadas por dez anos. Esta inovação proporciona novas oportunidades de simplificação da arquitetura ou de melhoria contínua em todo o produto, uma vez que permitiu manter as características do motor de combustão AS1, acrescentando, simultaneamente, novas características do segmento EV, bem como outras como a característica "Overtake" ou a possibilidade de permitir a comunicação entre duas baterias.

Foi instalada uma única ECU para assegurar a comunicação entre os dois sistemas. Esta inovação traz novas oportunidades para simplificar arquiteturas ou para melhorar continuamente ao longo de todo o ciclo de vida do produto.

A A110 E-ternité tem ainda mais para oferecer, com novos equipamentos desenvolvidos pelos engenheiros da Alpine.

Um tejadilho aberto há muito esperado

Há muito tempo que os pedidos para um A110 se tornar também descapotável faziam-se ouvir. A Alpine decidiu, assim, enfrentar mais esse desafio. A dificuldade era, sobretudo, encontrar a solução ideal para integrar rapidamente um telhado amovível na estrutura do A110.

Os engenheiros da Alpine imaginaram assim uma solução simples e leve, sem afetar a rigidez na produção A110, com dois telhados “injetados” com carbono reciclado. Um componente concebido e construído inteiramente em casa.

Ecrã central & sistema audio

Os engenheiros da Alpine tornaram prioritário o desenvolvimento de um automóvel que seja tão belo quanto eficiente. O cockpit deve, portanto, refletir isso também. A equipa conseguiu combinar os requisitos de conceção com os da arquitetura eletrónica. A solução: a cablagem foi feita diretamente com o tablier e foi utilizado o mesmo computador da interface. O resultado corresponde às expetativas e também se integra:

- um sistema audio “state-of-the-art”, com 8 altifalantes, incluindo um subwoofer para recriar um som envolvente, graças a coluna central e duas novas colunas traseiras.

- um inovador sistema multimédia que utiliza o tablet pessoal do condutor como ecrã multimédia, de modo a exibir o ambiente e as aplicações habituais do utilizador. Esta solução proporciona um sistema operativo sempre atualizado, combinado com as mais recentes tecnologias de ecrã. 

Materiais inovadores

Os materiais utilizados em algumas peças-chave, não só leves, mas também mais amigos do ambiente, são feitos de linho. Foi também desenvolvido um segundo protótipo E-ternité que mostra esta nova tecnologia aplicada a peças como o revestimento do capô, o tejadilho, a janela traseira, a grelha, a estrutura dos bancos e a saia traseira. O material provém da empresa Terre de Lin, sediada perto de Dieppe (Normandy, França). Tão forte como a fibra de carbono e com melhor acústica, o linho é um material do futuro.

Esta nova experiência possibilita também a preparação para o futuro. De facto, o desenho das peças é agora compatível com os vários materiais compostos, o que significa que o mesmo molde pode ser utilizado para produzir carbono, vidro ou composto de fibra de linho. Uma pesquisa promissora para o futuro.

autonews.pt @ 25-7-2022 12:31:44

Galeria de fotos


Clique aqui para ver mais sobre: Carros elétricos - notícias e tecnologia