Em Outubro Stellantis com mais unidades vendidas do que o Grupo Volkswagen

Mercado automóvel europeu diminuiu em dimensão devido à escassez de chips

Outubro foi um mês desafiante para a indústria automóvel europeia, uma vez que o total de matrículas registou uma diminuição de 30% para 790.652 unidades devido ao impacto contínuo da escassez de automóveis novos nos concessionários. Até à data, o volume total dos 26 mercados europeus continua a ter um desempenho superior ao de 2020, com um aumento de 2,6% para 9,85 milhões de unidades - no entanto, a diferença voltou a diminuir quando comparado com o aumento de 7% que se verificou em Setembro de acordo com a mais recente análise da JATO Dynamics.

autonews.pt @ 1-12-2021 19:37:50

A carência de chips também estão a ter um impacto directo na liderança de vendas em todo o mercado europeu. Segundo dados da JATO Dynamics, o mês passado foi a segunda vez, neste século, que o Grupo Volkswagen caiu da posição de liderança no ranking de registos mensais por OEM. Isto marca a primeira vez, desde a sua formação no início deste ano, que a Stellantis ultrapassou o fabricante alemão.

No mês passado, a Volkswagen registou um declínio de 42% em volume, com quedas de dois dígitos em todos os países, excepto na Irlanda. Os seus automóveis compactos e de tamanho médio foram os segmentos mais severamente afectados. Felipe Munoz da JATO comenta que "... os fabricantes de automóveis estão a ser forçados a dar prioridade aos seus segmentos mais vendidos, o que significa que os poucos semicondutores disponíveis estão a ser utilizados unicamente para produzir SUV e VE".

A quota de mercado dos SUV saltou de 40,7% em Outubro de 2020 para um novo recorde mensal de 46,8% no mês passado. Ao contrário dos segmentos tradicionais, a procura de SUV tem continuado a ganhar dinamismo à medida que os fabricantes lançam as suas novas alternativas EV. O segmento foi liderado pelo Grupo Volkswagen, Stellantis e Hyundai-Kia, mas apenas este último registou um crescimento notável de +23%, devido aos seus últimos lançamentos. A Toyota, na 6ª posição, também viu o seu volume aumentar em 3%.

Durante o mês de Outubro, foram registadas um total de 181.300 unidades de BEV e PHEV (bateria e híbridos), representando 22,9% da quota de mercado total - um novo recorde mensal.

Enquanto o segmento EV continua a sua trajetória ascendente, os veículos a diesel estão a lutar para ganhar tração na Europa, com a quota de mercado a descer para apenas 19%. Munoz acrescentou: "Como vimos durante a pandemia, a atual crise provou ser mais uma oportunidade do que uma ameaça para o mercado EV em desenvolvimento. A COP 26 marcou um ponto de viragem significativo para a indústria, uma vez que 24 países e 11 OEM se comprometeram a deixar de produzir veículos ICE até 2040, pelo que a mudança para os VE só irá acelerar ainda mais nos próximos anos".

Como consequência da crise, houve uma mudança considerável no ranking por modelos. O Peugeot 2008 garantiu o primeiro lugar pela primeira vez desde a sua introdução em 2013. Stellantis viu 5 dos seus modelos no top 10, seguido do grupo Renault com 2 modelos, e do grupo Volkswagen, Ford e Hyundai com um modelo cada.

A Hyundai Tucson voltou a ter um bom desempenho, com um aumento de 59% graças à nova geração. Resultados fortes também foram registados enquanto o Volkswagen T-Cross +10%; BMW X3 +74%; Kia Sportage e Ceed, +23% e +26% respectivamente; Mitsubishi Space Star +45%; Ford Ecosport +36%; Tesla Modelo 3 +236%; Porsche Macan +38%; BMW Série 4 +31%; Volkswagen Arteon +103%; Porsche Taycan +41%; o Lexus UX + 28%.

Entre os últimos lançamentos, o Opel/Vauxhall Mokka garantiu um lugar no top ten do SUV; o C4 tornou-se o segundo veículo mais vendido da Citroen; o Arkana da Renault superou o Megane e o Kadjar, e o Dacia Spring foi o terceiro BEV mais vendido, atrás do Renault Zoe e do Volkswagen ID.3.

autonews.pt @ 1-12-2021 19:37:50

Galeria de fotos


Clique aqui para ver mais sobre: Auto News, Mercado Automóvel e Novidades