Duplo pódio absoluto para a Dunlop nas 24 Horas de Le Mans

Para a Dunlop, as 24 Horas de Le Mans de 2017 serão para recordar, pelos recordes batidos, pelas voltas na liderança absoluta da prova e pelos pódios à geral conquistados, a par das já habituais vitórias e pódios em diversas classes, numa corrida com elevadas temperaturas, que colocaram à prova carros e pilotos. As temperaturas na pista superaram os 50 graus no final da corrida que ontem terminou na região de Sarthe, em França.

Auto News @ 19-6-2017 13:16:05

Prever o vencedor da corrida na classe LMP2 foi uma tarefa impossível, com mais de metade dos concorrentes inscritos a serem candidatos à glória. O vencedor final, o carro número 38 da Jackie Chan DC Racing, nunca esteve fora dos seis primeiros, enquanto que o Oreca-Gibson, gerido pela Jota, manteve-se entre os três primeiros a partir da sétima hora. A corrida de desgaste cobrou o seu preço na classe de topo LMP1 e, à 22ª hora, na volta 319, Thomas Laurent, no carro número 38, assumiu a liderança absoluta da prova. Nas duas derradeiras horas de corrida o Porsche de LMP1 foi recuperando, gradualmente, terreno, mas demorou 28 voltas para reassumir o comando, a apenas 65 minutos do final. Ho-Pin Tung cruzou a linha de meta em segundo da geral e vencedor da classe LMP2, tendo liderado a geral durante 28 voltas, e durante 187 das 366 voltas efetuadas na classe LMP2. O terceiro lugar da geral, e segundo em LMP2, foi para o Vaillante número 13 da equipa Rebellion, que provou a sua tenacidade recuperando de vários revezes. O pódio de LMP2 completou-se com o segundo Oreca da Jackie Chan. Todos os dez primeiros classificados da classe LMP2 correram com pneus Dunlop.

Na classe LM GTE Pro, os dois Aston Martin Vantage calçados com pneus Dunlop rodaram na frente, liderando, entre si, 210 das 340 voltas efetuadas. Na que foi, porventura, a classe mais disputada, os seis primeiros alternaram na liderança da prova nada menos do que 51 vezes. Uma manobra de ultrapassagem na última volta, por parte do carro número 97, de Jonny Adam, à saída da última curva, foi suficiente para cruzar a linha de meta em primeiro e alcançar a vitória.

A Aston Martin Racing também foi líder da corrida na classe LM GTE Am, com quatro dos sete pilotos equipados com pneus Dunlop a lutarem pelo pódio durante a corrida, incluindo o Aston Martin número 98 da Dempsey-Proton Racing Porsche. No final, o carro com Dunlop melhor classificado foi o Aston Martin da Beechdean AMR, que terminou no quarto posto.

Escolhas de pneus

A nova gama de pneus foi concebida para satisfazer um amplo leque de temperaturas, e a sua seleção é feita com base na compatibilidade individual de cada chassi/piloto. As temperaturas da pista variaram entre 25 e 51 graus. Os três compostos foram utilizados em todas as temperaturas ao longo da corrida nas classes LMP2 e GT. As equipas de LMP2 optaram, predominantemente, por realizar triplos e quádruplos stints, com algumas a correrem com o mesmo jogo de pneus durante cinco stints (mais de três horas e 668 km). Na corrida de GT, a melhor estratégia, tendo em conta os regulamentos, provou ser a dos duplos stints.

Recordes e voltas mais rápidas da Dunlop em 2017

Volta mais rápida em LMP2 (qualificação) - 3:25.352 (sete segundos mais rápida que o recorde de 2008 e 11 segundos mais rápida que em 2016)

Volta mais rápida em LMP2 em corrida - 3:28.632 (oito segundos mais rápida que o recorde de 2015)

Volta mais rápida em GTE Pro (qualificação) – 3:50.837 (0,35 segundos mais rápida que o recorde de 2016)

Volta mais rápida em GTE Pro em corrida – 3:50.950 (0,9 segundos mais rápida que o recorde de 2016)

Xavier Fraipont, Diretor Executivo da Dunlop Motos e Desportos Motorizados para a EMEA

“Esta foi a corrida do século devido às condições. Um tão elevado calor, com as temperaturas da pista a superar os 51 graus, com velocidades médias de 235 km/h, foi extremamente duro para os pneus, e demonstrou que dominamos a nossa tecnologia e disponibilizamos a melhor performance aos nossos parceiros. Conquistamos estas vitórias e pódios graças ao excelente desempenho dos pneus, que garantiram resultados sob condições extremas em toda as nossas opções de pneus slick durante três, quatro e cinco stints. Sinal de que Dunlop e corridas de resistência são sinónimos”.

Mike McGregor, Director de Testes e Apoio em Pista da Dunlop

“Um pódio absoluto é um resultado fantástico. É um testemunho para o ACO e para a nova era de LMP2 – foi uma corrida fantástica. Apenas em dezembro tivemos o regulamento definitivo dos carros de LMP2, pelo que foi uma tarefa difícil. Correr durante três, quatro e cinco stints com os nossos primeiros pneus da geração de 2017, e estar no pódio à geral ao fim de seis meses, é uma enorme recompensa para o árduo trabalho levado a cabo pela nossa equipa. O próximo ano será interessante, tendo em conta que esta foi a nossa primeira fase de desenvolvimento para os novos regulamentos”.

Auto News @ 19-6-2017 13:16:05


Últimas notícias